23 de dez de 2013

Por mais absurdo que possa parecer, a oligarquia Sarney e seus acólitos conseguem surpreender a população a cada dia.

Pois bem, quando todos pensavam que o vereador Fábio Câmara (PMDB) tinha chegado ao seu limite ao invadir o prédio da Prefeitura de São Luis e, aos berros, de forma desequilibrada, disparar impropérios e ameaçar fisicamente auxiliares do prefeito Edivaldo Junior, eis que o afilhado de Ricardo Murad pode ter conseguido se superar.

Patrocinador de um movimento (no início legítimo, antes da infiltração de ALGUMAS pessoas que querem tirar proveito político) que já teve um desfecho positivo – até onde se tem notícia a prefeitura celebrou acordo com os cooperativados da empresa Multicooper –, o vereador é apontado como responsável por um ato de extremo mau gosto.

Muito sensível à situação dos cooperados, Fábio Câmara teria providenciado não cestas natalinas para suas famílias, mas sim um caixão despachado para a porta da prefeitura com frase alusiva ao prefeito Edivaldo Junior, num completo desrespeito à autoridade municipal. Há outras formas de protestar, reivindicar, exigir direitos, mas jamais desejar a morte de um adversário político. O vereador, com certeza, não gostaria que fizessem o mesmo com alguém da sua família.

Uma peça macabra despejada na praça Dom Pedro II demonstra o nível do vereador e seus líderes. Um escárnio também e principalmente quando se observa a situação de violência e insegurança em que vive o estado.

O Maranhão é alvo da atenção de organismos internacionais com as decapitações medievais que se sucedem no sistema penitenciário do estado, que já ceifaram vidas de dezenas de pessoas este ano.

A peça esdrúxula, de mau gosto, é inapropriada até mesmo para deixar na porta do Palácio dos Leões para enterrar um governo que parece sem vida, fracassado, do qual Fábio Câmara é subserviente. Ou alguém já viu Fábio Câmara participando de algum protesto em frente ao Palácio dos Leões, com um caixão da governadora Roseana ou do secretário Ricardo Murad, cobrando soluções para o fato do nosso estado ostentar os piores indicadores sociais? Claro que não!

Será se o nobre edil sabe que somos os últimos em tudo, os mais atrasados e, nem assim, se incomoda com a situação de seus irmãos vivendo em extrema pobreza e miséria a ponto de cobrar, como cidadão da sofrida baixada maranhense, ações do atual governo que está aí? Fábio Câmara até deve ter vontade, mas o cabresto do grupo oligárquico do qual é serviçal não o deixa erguer a vista para isso.

Aliás, bom dizer que Fábio Câmara nunca participou de movimento ou causa social nesta cidade. Nem mesmo dos cooperativados da Multicooper, pegando só agora carona com clara intenção política. Muito provável que a maioria dos cooperativados manifestantes não conheça Fábio Câmara de antes e tampouco saibam dizer onde ele estava durante esses anos.

O Maranhão encerra o ano com a horrenda estatística de quase mil assassinatos em apenas um ano, somente na grande São Luís.

A ilha dos amores transformou-se em ilha dos horrores sob o olhar complacente do governo Roseana Sarney. Mas, para isso, Fábio Câmara fecha os olhos.
*Com informações do blog do John Cutrim
Reações:

2 comentários :

Design de NewWpThemes