10 de ago de 2013

Um ponto de convergência entre as cidades maranhenses que apresentam péssimos indicadores, no números divulgados recentemente sobre o Indíce de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) é  o fato de pertencerem a lista dos municípios maranhenses criados na década de 1990.

Geralmente instituídos sem nenhum planejamento prévio e criados  mais para atender a interesses políticos e eleitoreiros do que por razões de caráter republicano, estes municípios tem sua economia dependendo quase que exclusivamente dos repasses que recebem da União e do Estado e a  gritante carência de políticas públicas faz com que amarguem indicadores sociais preocupantes

Na lista dos piores IDH´s do Brasil, Fernando Falcão  Marajá do Sena e Belágua foram criadas na década de 1990. Marajá do Sena foi desmembrada da cidade de Paulo Ramos e Fernando Falcão era povoado da cidade de Barra do Corda e Belágua  foi  desmembrado em  de Urbano Santos.

Estas três cidades, desmembradas de municípios que já não apresentavam  indicadores sociais satisfatórios , já nasceram com esta herança indigesta. Dados do IDHM ( Indice de Desenvolvimento Humano Municipal)  indicam  que elas estão entre as cidades que apresentam a piores rendas per capita média do país.  Em Marajá do Sena a renda mensal de cada habitante da cidade não chega a R$ 100( cem reais). Em Fernando Falcão essa renda atinge apenas R$ 106,99 e em Belágua tal valor é de R$ 107,14.

*Blog Maranhão da Gente


O secretário de Projetos Especiais (Sempe), Gustavo Marques, junto com os especialistas José Antônio Lopes, Antônio Filho e a equipe social da Sempe, se reuniram na noite de sexta-feira (09), com as lideranças do Movimento Acorda Coroadinho e as comunidades da margem direita da Bacia do Bacanga. O encontro, que ocorreu na igreja católica do Espírito Santo, no Parque Timbiras, serviu para discutir o andamento das ações do Programa Bacia do Bacanga e apresentar a situação atual das obras.

O secretário Gustavo Marques frisou que a Sempe está atenta às demandas da população, tanto que houve reformulações nas propostas sociais que inicialmente não estavam previstas no Programa. “O prefeito Edivaldo é uma pessoa sensível às questões sociais e por isso não tem medido esforços para garantir o sucesso do Programa”, ressaltou.

José Antonio Lopes expôs o quadro geral do Programa, desde sua concepção e explicou em detalhes sobre o andamento das ações e projetos que fazem parte do Programa Bacia do Bacanga. O projeto prevê melhorias de saneamento básico, urbanas e socioambientais.

A assistente social Vânia Maria apresentou a nova equipe social, que atua diretamente na comunidade realizando visitas às famílias diretamente atingidas pelo programa. Uma equipe, com assistentes e sociólogas, também atende pela manhã e tarde no escritório social, montado no Canteiro de Obras do Canal do Rio das Bicas, atrás da Fundação Bradesco.

O encontro serviu para explicar os trabalhos de pavimentação que já estão em andamento na área do Pólo Coroadinho e sobre o andamento da obra de reforma e ampliação da Barragem do Batatã e da ETA do Sacavém, que acontecem sob a responsabilidade da Secretaria de Obras e Serviços Públicos (Semosp) para beneficiar os moradores daquela região.

Aos moradores foram apresentadas as planilhas de desembolso que apontam os valores que já foram efetivamente pagos pelas obras e projetos já desenvolvidos. Todos os custos são pagos com a supervisão direta do Banco Mundial, que é um dos financiadores do programa. Além do monitoramento do Banco, o Programa é auditado anualmente, o que torna as ações ainda mais transparentes.

As informações do Programa Bacia do Bacanga estão disponíveis na página da Sempe, no Portal da Prefeitura (www.saoluis.ma.gov.br), no blog do Programa, através de visitas ao escritório social montado na comunidade ou mesmo na sede da Sempe.

A reunião contou com mais de 60 moradores da região, que tiraram dúvidas com a equipe da Sempe e apresentaram sugestões que serão avaliadas pela Secretaria. Também participaram da reunião o superintendente da Sempe, Crescêncio Neto, e o superintendente da GEPAC, Roberto Sousa.

A Secretária de Estado da Gestão e Previdência (SEGEP) e a Fundação Getúlio Vargas divulgaram neste sábado (10/08) os resultados preliminares dos aprovados no concurso público para o Departamento Estadual de Trânsito do Estado do Maranhão (Detran-MA).
                                        
Ao todo serão preenchidas 160 vagas em cargos de nível médio e superior, 40 vagas para analista de trânsito (nível superior) e 120 para assistente de trânsito (nível médio).

O salário é de R$ 4.300 para analista de trânsito e de R$ 1.400 para assistente de trânsito. Os aprovados serão lotados nas cidades de São Luiz, Caxias, Codó, Imperatriz, Balsas, Bacabal, Chapadinha, Pedreiras, Santa Inês, Timon, Açailândia, Barra do Corda, Grajaú, São João dos Patos, Presidente Dutra e Pinheiro.

A prova objetiva foi realizada no dia 7 de julho, nas cidades de Caxias, Imperatriz e São Luís. Ambos os cargos tem jornada de trabalho de 30 horas semanais, os candidatos nomeados poderão ser designados para exercer suas atribuições na sede do Detran, em São Luís, ou municípios do Estado, conforme o edital.
O resultado pode ser conferido no sitio da FGV no link http://fgvprojetos.fgv.br/concursos/maranhao13/detran.
http://wm.imguol.com/v1/blank.gif


BRASÍLIA - O megaescândalo envolvendo tucanos em São Paulo com fraudes no Metrô é mais um capítulo da purgação pela qual passa o sistema político brasileiro pós-ditadura militar.

Não houve um único governo recente sem grandes escândalos de corrupção. José Sarney teve a licitação combinada da ferrovia Norte-Sul. Distribuiu emissoras de rádio e TV a políticos para garantir um mandato de cinco anos.

Fernando Collor sofreu um processo de impeachment. Seu vice, Itamar Franco, assumiu com reputação de homem limpo, mas, sob seu governo, eclodiu o caso dos "anões do Orçamento", com congressistas roubando à larga o dinheiro público.

Fernando Henrique Cardoso teve a compra de votos a favor da emenda da reeleição. Depois, as suspeitas de intervenção indevida na formação dos consórcios do leilão de privatização das empresas telefônicas.

Luiz Inácio Lula da Silva e o PT chegaram ao poder federal propondo moralizar as coisas. 
Protagonizaram o mensalão. Dilma Rousseff já demitiu ministros a granel, muitos suspeitos de corrupção.

O caso dos tucanos paulistas ajuda a compor a paisagem. O efeito colateral mais nefando é reforçar o estereótipo segundo o qual "todo político é ladrão". A parte boa é que cada vez mais esses episódios ficam conhecidos.

Observador da política por dever de ofício, não creio haver hoje governos mais corruptos do que no passado. A diferença é que agora ficamos sabendo um pouco mais como são as coisas --embora de maneira modesta.

O Ministério Público atuante, a Justiça implacável e novas regras como a Lei de Acesso à Informação são os melhores remédios contra a corrupção na política. Mas esse receituário só surte efeito de maneira muito lenta. Por essa razão, e essa é uma má notícia, é prudente esperar ainda uma piora do quadro geral antes de tudo melhorar.

9 de ago de 2013

Ministra Luciana Lóssio

Alegando “suspeição no presente pleito por motivo de fórum íntimo”, a ministra Luciana Lóssio, devolveu o processo de cassação da governadora Roseana Sarney (PMDB) à presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministra Carmem Lúcia, para ser redistribuído. Caberá ao novo relator pedir pauta para julgamento em plenário.  

Luciana Lóssio advogou para Roseana Sarney em outros processos e se considerou impedida de participar do julgamento, que já tem o parecer favorável da Procuradoria Geral da República pela cassação.

Roseana, segundo entendeu o Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, conseguiu o mandato por meios ilícitos.

Segundo a acusação do ex-governador José Reinaldo Tavares, autor do recurso, Roseana torrou R$ bilhão em convênios com prefeituras às vésperas da eleição.

Os advogados de José Reinaldo, Rodrigo Lago e Rubens Júnior, receberam com naturalidade a suspeição da ministra.    

Na manhã desta sexta-feira (09), o prefeito Edivaldo Holanda Júnior recebeu, no Palácio de La Ravardière, o diretor de Operações Logísticas da Vale, Zenaldo Oliveira, durante visita de cortesia.

No encontro, Zenaldo Oliveira desejou sucesso à gestão do prefeito Edivaldo e colocou a Vale à disposição para contribuir no desenvolvimento da capital maranhense. O prefeito Edivaldo Holanda Júnior agradeceu a visita e disse que considera a Vale uma grande parceira para fortalecer a economia da cidade e do estado.

Zenaldo Oliveira anunciou, ainda, a mudança da sede da Diretoria de Operações Logísticas da Vale, antes situada em Vitória (ES), agora fixada em São Luís. O setor, responsável pelas operações nos portos e ferrovias, concentrará muitos investimentos para o Maranhão nos próximos anos.

“Nós estamos certos de que parcerias com esta gestão, que tanto tem nos acolhido, será fundamental para gerarmos mais renda, investimentos, empregos e grandes obras para São Luís e todo o estado. Nossa meta é dobrar a produção nos próximos cinco anos e temos certeza de que a mudança da sede de operações logísticas irá atrair mudanças muito positivas para a cidade”, destacou Oliveira.

O prefeito Edivaldo reforçou o compromisso de estreitar o relacionamento com a Vale nos próximos anos e agradeceu a forma como a companhia tem trabalhado para firmar parcerias que resultem em grandes investimentos e qualidade de vida para a população.

Design de NewWpThemes