15 de mar de 2014

As andanças do movimento Diálogos pelo Maranhão completa neste sábado (15) um ano de trajetória. Coordenado pelo pré-candidato Flávio Dino, o movimento já visitou mais de oitenta cidades em todas as regiões do estado, debatendo, ouvindo e propondo um novo modelo de desenvolvimento para o Maranhão.

Com a participação de partidos e lideranças políticas, sindicatos, igrejas, trabalhadores, empresários, profissionais liberais, intelectuais, estudantes, ou seja, de todas as forças sociedade maranhense que desejam a mudança, o movimento Diálogos pelo Maranhão busca saídas novas e criativas para construir um Maranhão melhor.

Ativar a participação popular na busca de alternativas para o desenvolvimento político-social do estado é uma das propostas do movimento que já percorreu todas as regiões do estado. Centenas de pessoas já se engajaram no projeto, trazendo ideias e sugestões para ajudar a superar os indicadores sociais do estado.

Ao comemorar o novo capítulo da história do movimento, Flávio Dino relembrou a trajetória de ações e debates que foram travadas no estado. “Queremos ouvir a população. Os Diálogos acontecem em todo o estado, respeitando as singularidades de cada região. Defender verdadeiramente o Maranhão hoje significa lutar para eliminar esse descompasso entre o que somos e o que podemos ser”, disse.

Diversas outras lideranças políticas e sociais compõem a história do movimento Diálogos pelo Maranhão. Deputados estaduais e federais, lideranças sindicais e religiosas, movimentos sociais e estudantis, todos, juntos, promovem há exatamente um ano uma construção coletiva para a promoção de um Maranhão mais justo e desenvolvido.

Debates e Propostas

Algumas sugestões concretas surgiram a partir dos debates realizados em várias partes do Maranhão. Propostas como a regionalização das universidades, a garantia da água encanada na casa de todos os maranhenses e a formulação de uma nova política de Segurança Pública surgiram com a intensa participação popular.

Compartilhar experiências e discutir soluções para os problemas socioeconômicos do Maranhão é uma marca registrada do movimento Diálogos pelo Maranhão que aglutina lideranças sociais em todo o Maranhão.
O deputado federal Domingos Dutra (foto) reafirma em entrevista sua decisão de abdicar da disputa pelo Senado em prol da unidade da oposição. O parlamentar vai apoiar a candidatura de Roberto Rocha (PSB) e garante que, em outubro, a realidade do Maranhão vai começar a mudar.
                 
- O que levou o senhor a tomar esta decisão?

Domingos Dutra - Sempre honrei minha história. Nestes 30 anos de militância política já fiz vários gestos para unificar a oposição maranhense, tais como renúncia de mandato de deputado federal em 1996 para apoiar a candidatura de Jackson Lago à prefeitura de São Luís, enfrentamento com o presidente Lula no segundo turno das eleições de 2006 e, em 2010, a greve de fome em protesto à doação do PT à oligarquia. Então, diante da oportunidade de derrotar a oligarquia Sarney, que há décadas trata o Maranhão como uma fazenda e os maranhenses como gado, abro mão de minha candidatura ao Senado em favor do Roberto Rocha com a convicção de que assim estarei contribuindo também para a eleição de Flávio Dino governador e uma bancada de deputados federais e estaduais capaz de libertar o estado do atraso.

- O senhor diria que seu gesto pode significar que a oposição está mais unida no projeto Flávio Dino?

Domingos Dutra - Acho que nem precisamos de gestos. A oposição está unida. É claro que vão continuar tentando desestabilizar nosso projeto. Mas isso é da luta política. O que importa é que estamos todos realmente unidos. E quando vamos ao interior, quando estamos nas ruas, o que sentimos é que o povo quer a mudança. E é para isso que devemos trabalhar todos os dias para consolidar esta vitória, que não será só nossa e sim do povo do Maranhão.

- O que o senhor acha que foi determinante para a escolha de Roberto Rocha para concorrer ao Senado?

Domingos Dutra - O Roberto é um excelente articulador e, principalmente, um político que conhece muito bem a realidade de nosso estado. E mais, conhece os problemas a serem resolvidos. Além disso, acho que ao lado de Flávio, com a minha ajuda, Roberto pode ser fundamental para inserir o Maranhão em outro patamar nacionalmente. Tem ótimas relações com lideranças nacionais e já deu seu sacrifício em outras eleições. Acho que esta é a hora do Roberto Rocha consolidar como grande liderança que é. Além disso, não é justo e nem democrático que apenas um grupo político domine, há tanto tempo, a representação do Maranhão no Senado.

- As pesquisas feitas até agora indicam uma tendência do eleitorado em acreditar na mudança. Na sua avaliação, a que se deve esta posição do eleitor?

Domingos Dutra - Sabe, o que mais me chama atenção é exatamente a enorme rejeição da Roseana em todo o Estado. Acho que nunca houve uma rejeição tão grande a quem está no poder. E o que isso significa? Que o eleitor quer uma nova oportunidade. O eleitor não quer mais saber dos índices tão insignificantes e tão vergonhosos que temos. E para mim, é isso que as pesquisas dizem.

E isso tudo se deve à péssima condução do estado. Como já disse, o Maranhão não é fazenda de ninguém. Chega de tantos desmandos, de tanta falta de educação, de saúde, de segurança. É preciso por fim ao cinismo desta oligarquia que debocha de nossa cara e manipula as instituições.

- Qual será sua participação nas campanhas ao governo e ao Senado?

Domingos Dutra -  Totalmente integrado. Sou homem de trincheira. Estarei em cada grotão, levando a mensagem da mudança, da renovação. Precisamos tirar o Maranhão deste atraso. E para isso, sabemos que a luta não vai ser fácil.  Serei um soldado à disposição do Flávio, do Roberto, mas, principalmente, à disposição do projeto de libertação do Maranhão.

14 de mar de 2014

Mais de 500 adolescentes das escolas da rede municipal de ensino de São Luís acompanharam entre os dias 10 e 14 de março as palestras do projeto Consumidor Mirim, que tinham por objetivo estimular hábitos saudáveis e alertar para os perigos do consumismo exagerado. O projeto é uma iniciativa do Movimento em Defesa do Consumidor do Maranhão (MDCMA) e que teve nesta semana a parceria da Prefeitura de São Luís, integrando o conjunto de ações alusivas ao Dia Mundial do Consumidor.

O secretário municipal de Educação, Geraldo Castro, lembrou que conscientizar os adolescentes para adotar hábitos de consumo mais saudáveis também é uma forma de promover cidadania. “O prefeito Edivaldo Holanda Júnior nos dá sempre uma diretriz muito clara: a de garantir educação cidadã, com qualidade e promotora da dignidade entre todos os meninos e meninas da rede. Por isso oferecemos apoio integral à atividade que esse movimento se propôs a desenvolver em nossas escolas”, disse Geraldo Castro.

O valor do consumo consciente, a falsa ideologia de poder de compra criada a partir da possibilidade do parcelamento da dívida e a ostentação de bens cuja aquisição não é realmente necessária foram alguns dos pontos abordados pelos palestrantes na conversa nas escolas.

O advogado Duarte Júnior, diretor de expansão e membro do conselho diretor do MDCMA, elogiou a receptividade dos adolescentes aos temas trabalhados. “A partir de hoje, esses adolescentes serão fiscalizadores não só do próprio consumo, mas também dos pais. Eles serão multiplicadores de uma educação para o consumo consciente, e não crescerão para se tornar homens e mulheres endividados”, avaliou o advogado.

Duarte Júnior destacou ainda a sensibilidade da Secretaria Municipal de Educação (Semed) com o tema. “Nós tivemos, desde o início, o apoio da Semed, que acolheu de pronto a nossa iniciativa, e foi isso que tornou possível que o nosso projeto se concretizasse, para que pudéssemos ser um instrumento real de políticas públicas fomentadoras do consumo consciente”, disse ele.

A gestora da Unidade de Ensino Básico (UEB) Menino Jesus de Praga, Mary Lúcia Bogéa de Assis, disse que as palestras superaram as expectativas dos estudantes e do corpo docente da unidade de ensino. “Foi tudo muito bem organizado e a conversa com os estudantes teve um nível muito adequado à idade deles. Os palestrantes usaram exemplos da atualidade e movimentaram a turma, fazendo um debate bem interessante. Quero que eles voltem mais vezes”, comentou. Na escola, 116 adolescentes do 7º ao 9º ano do Ensino Fundamental participaram da atividade.

Dentre as escolas que receberam o projeto estão as U.E.B.s Maria Alice Coutinho, Menino Jesus de Praga, Mário Andreazza e Miguel Lins.
Comitivas de diversos municípios se reuniram com Flávio Dino durante a tarde da última quinta (13), em São Luís. O pré-candidato a governador da oposição tem atuado com grande disposição em articular ações em cada município, conversando com lideranças, movimentos sociais e representantes de diversos segmentos da sociedade.

Alcântara -  O ex-vereador e ex-candidato a prefeito de Alcântara, Anderson Wilker (PSB), conversou com Flávio Dino a respeito do desenvolvimento do município. O desenvolvimento social do município, com distribuição de renda e mais igualdade, foi a maior preocupação demonstrada durante a reunião que discutiu rumos para o Centro de Lançamento de Alcântara, que há 10 anos foi destruído após explosão.

Mesmo após uma década, o município ainda espera a construção de um novo Centro de Lançamento. As obras estão paradas e “precisam de maior esforço do Poder Público e da iniciativa do Governo do Estado” para que ele receba os investimentos necessários.

Dino acompanha de perto o desenvolvimento do projeto e afirma que este é mais um potencial do Maranhão que precisa de um Governo comprometido com o crescimento do estado para ser colocado adiante. “Por estar a 2 graus da linha do Equador, Alcântara tem as condições naturais mais adequadas para o lançamento de foguetes do mundo. Essa é uma de nossas riquezas que precisam de mais atenção,” afirmou.

Cantanhêde -  Um grupo de vereadores composto po Toinho (DEM), Jacó (PPS) e José Raimundo (PDT) estiveram com Flávio Dino e a ex-prefeita Meire Valéria na capital. Ao receber a visita da ex-prefeita, Dino a convidou a filiar-se ao PCdoB. Meire aceitou o convite e deve assinar a ficha de filiação em breve.

Pinheiro - Ao lado do deputado estadual Othelino Neto
(PCdoB), lideranças da Baixada Maranhense se reuniram com Flávio Dino. O ex-prefeito José Arlindo (PSB) e os vereadores Leonardo Sá (PDT), Nézio Vitorino (PDT), João Moraes (PSB) e Selma Durans (PSL).

A comitiva visitou Dino para manifestar apoio nas eleições de 2014, tratar de articulações políticas na cidade e programar os próximos passos de Dino em ações na região da Baixada. “Chegou a hora de dias melhores para o Maranhão. Estamos empenhados em torno da pré-candidatura de Flávio Dino. Com a força da população, apoiamos essa proposta de mudança para o nosso estado”, destacou o vereador Nézio.

Anajatuba -  Outro representante da cidade de Anajatuba com Flávio Dino. Desta vez, foi o vice-prefeito da cidade, Sidney Pereira (PSL). O vice-prefeito declarou apoio ao pré-candidato do PCdoB ao Governo do Maranhão pelo grupo de oposição e disse: “Trouxe a mensagem do povo de Anajatuba de confiança em dias melhores para o nosso estado. Vamos nos engajar nesse projeto”.

Igarapé do Meio - O vereador Amaury Santos (PCdoB) e o presidente da sigla, João
Chico, foram recebidos por Flávio Dino em São Luís. Os representantes do município reforçaram o convite à passagem do movimento Diálogos pelo Maranhão, com debates e ouvindo a população local. “A cada visita que ele faz, é uma luz que se acende no Maranhão na luta pela igualdade e pela mudança,” disse Amaury Santos.



A presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargadora Cleonice Freire, não esconde de ninguém a difícil situação financeira do judiciário que recebeu de seu antecessor, desembargador Guerreiro Junior. Em reunião com vários magistrados, Cleonice tem afirmado que o Tribunal de Justiça não dispõe de recursos sequer para nomear um dos juízes que serão aprovados em concurso já em fase final.

Segundo a desembargadora, as nomeações dos aprovados só se concretizarão se a saúde financeira do judiciário melhorar, pois, do contrário, nenhum dos aprovados será empossado. Cleonice ainda disse que a Corte dispõe apenas de R$ 14.000.000,00(quatorze milhões de reais) para investir na construção e reformas de fóruns, e seus respectivos aparelhamentos para funcionar adequadamente, o que é absolutamente insignificante para uma estrutura como do judiciário maranhense.

RUBENS JUNIOR SE VIRA NOS TRINTA

No próximo domingo quem chega aos trinta anos é o advogado e deputado, Rubens Junior (PC do B), aguerrido líder da bancada de Oposição na Assembleia Legislativa.

Rubens receberá os parentes e amigos para uma feijoada na Fábrica Recepções, no Turu. Já na casa dos trinta, Rubens Junior, que é um dos grandes quadros da renovação política do Maranhão, já está no 2º mandato de deputado estadual e tentará eleger-se deputado federal este ano.

SINHAZINHA

A última de Roseana Sarney é achar que os deputados estaduais ficarão numa situação terrível, desesperadora, se ela não sair candidata ao Senado. Como se um mandato de senadora servisse a mais alguém, a não ser a ela mesma e à sua família. Roseana joga no ar uma espécie de chantagem velada de que o “seu” grupo político é refém de sua candidatura ao Senado, e que eles, os integrantes de "seu" grupo, é que irão implorar para que ela renuncie ao governo e lance sua candidatura.

Roseana raciocina  Sarney que eles terão de se curvar à sua vontade. Em seu império de comunicações, ela manda o recado, através de seu editor de política do jornal de sua propriedade: "se vocês quiserem que eu me lance candidata ao Senado para salvar a pele de vocês, façam logo o que mando e elejam Luís Fernando governador indiretamente na
Assembleia Legislativa”. Imagina a Sinhazinha que com isso, “dá um cheque-mate” nesse bando de deputadinhos.
Mas vejam quanta arrogância!

Fica a pergunta: a quem diabos interessa a candidatura de Roseana ao senado,  a não ser a ela mesma?

MENSALÃO TUCANO  

Em menos de duas semanas depois de apresentadas as alegações finais do ex-presidente do PSDB, Eduardo Azeredo, no chamado "mensalão tucano", o ministro Luiz Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, informou ao presidente da Corte, ministro Joaquim Barbosa, que já estar com o seu voto pronto. Pela celeridade incomum dada ao caso pelo ministro Barroso, pode vir por aí uma cana grossa no tucano, com o perdão do trocadilho. 

O QUE NÃO DEVE SER FEITO

No longo artigo escrito no jornal Estado do Maranhão, de propriedade do clã Sarney, no último dia 13 de março, o ex-deputado e atual secretário do governo Roseana Sarney, Joaquim Haikel, nos brindou a todos com um notável e histórico manual de como não se deve fazer política. Ou, um fantástico manual de como se faz da coisa pública um vale-tudo para se manter no poder, usando a coisa pública em benefício próprio.

De modo didático, como convém a um escritor, Joaquim Haikel mostra a receita de como convencer a Assembleia Legislativa a eleger Luís Fernando governador biônico, no caso de renuncia de Roseana Sarney do cargo de governadora: prometam entregar a Arnaldo Melo e seus deputados "mais chegados" IMPORTANTES SECRETARIAS e ainda a vaga de vice-governador, e mais alguns agrados que a coisa se resolve.
 
De tal premissa extrai-se que os deputados "mais chegados" a Arnaldo Melo teriam suas reeleições asseguradas com farto dinheiro público das "importantes secretarias", e Arnaldo seria acomodado na cadeira de presidente da Assembleia  novamente a partir de 2015, além de poder entrar no rateio da coisa pública. 

É um texto rico em detalhes para se compreender como o tal “Grupo Sarney” fez, faz e pretende fazer da coisa pública para se manter no poder a qualquer custo; A própria institucionalização do odioso e nefasto patrimonialismo arraigado até a medula das mentes oligárquicas.

MARANHÃO ANALFABETO

A propósito da megalomania de riqueza de Roseana, o IBGE mostra que no Maranhão, mais da metade (55,7%) da população com mais de 60 anos é analfabeta. Ou seja, mais da metade da população que viu nascer o sarneysmo do Maranhão, não teve sequer a chance de frequentar a escola para escrever seu próprio nome e aprender a ler. O Maranhão é o segundo estado do Brasil em números de analfabetos, ficando à frente somente de Alagoas. Esse é o legado que Roseana Sarney e sua família deixam ao Maranhão...

Quem tem mais de 40 anos, certamente se recorda de um comercial do jornal Folha de São Paulo, produzido em 1988, em que apareciam pontos em branco e preto e a imagem de um homem ia se formando. Ao fundo, uma voz grave narrando as proezas daquele personagem que ia aparecendo. A voz dizia: "Este homem pegou uma nação destruída, recuperou sua economia e devolveu o orgulho a seu povo... reduziu a inflação de um milhão por cento para 25% ao ano..." Ao final das frases, o espectador percebia que a imagem formada era de Hitler. 

A voz, então, retorna ao final e conclui: "É possível contar um monte de mentiras só dizendo a verdade".

Este comercial voltou a ser exibido 22 anos depois, em 2010.

Aqui no Maranhão que, segundo o Padre Antônio Vieira, até os céus mentem, de igual modo, é possível se contar um monte de mentiras, só dizendo a verdade. A mais recente entrevista da governadora Roseana Sarney à sua rede de comunicação, no último dia 13 de março, bem dimensiona isso. Com sua megalomania de riqueza, mais uma vez ela afirmou que o Maranhão está mais rico, e que sairá do governo entregando um estado de primeiro mundo. 

Realmente, ela, seus familiares e seus amigos estão muito mais ricos do que quando entraram na política; para ela e para os seus, o Maranhão é um país de primeiro mundo, pois eles não se misturam na pobreza da imensa maioria do povo maranhense.

É possível contar um monte de mentiras só dizendo a verdade.


Gestão de dois anos e nove meses foi marcada por inovação, transparência, recordes, reconhecimento nacional e enfrentamento dos principais problemas do setor

 
Hoje (14/mar), o Diário Oficial da União publicou a saída de Flávio Dino da presidência da Embratur, atendendo pedido feito à Presidência da República para que pudesse se dedicar aos Diálogos pelo Maranhão. Na segunda-feira, Dino esteve com o ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, quando solicitou sua saída para se dedicar ao debate político e programático para o seu estado de origem.

Cerca de 2 anos e nove meses após sua posse, Dino sai com reconhecimento nacional de sua gestão à frente do órgão do Governo Federal responsável pela promoção turística do Brasil no exterior. Ao longo desse período, Dino bateu o recorde de recepção de turistas estrangeiros no Brasil, com 6,1 milhões de turistas em 2013, marca nunca antes alcançada na história do Brasil.

Dino também implantou diversas inovações nas ações da Embratur, chegando a ser premiado internacionalmente. Foi o caso da série de eventos Goal to Brasil, feitos em parceria com governos estaduais, em que o Brasil apresentava os destinos associados à Copa do Mundo para diversos países da Europa e América Latina.

O modelo de promoção foi reconhecido internacionalmente, recebendo prêmio em três categorias do Business Stevie Awards, o Oscar das Relações Públicas, entregue anualmente em Barcelona.

O seu trabalho foi prontamente reconhecido por diversos integrantes do setor. “Ele trabalhou arduamente para tirar o Brasil da inércia dos 5 milhões, fazendo o país chegar a 6 milhões pela primeira vez na História”, afirmou Enrico Fermi, presidente da ABIH (Associação Brasileira da Indústria Hoteleira). “Também agradeço por ter dado toda sua dedicação e colocado toda a sua equipe empenhada para a retomada dos EBTs, que representam um importante ganho para o setor turístico brasileiro”.

Escritórios - Os EBTs (Escritórios Brasileiros de Turismo) foram outra marca da gestão de Dino, instalando 13 escritórios de representação turística brasileira na América do Sul, Estados Unidos, Japão e sete países da Europa.

“Dino foi uma grata surpresa para o turismo no Governo Dilma. Como gestor devemos destacar a valorização dos quadros da própria Embratur, a reestruturação que promoveu com as chegadas dos concursados e restabelecer os EBTs (Escritórios Brasileiros de Turismo) no exterior”, afirma Cláudio Magnavita, jornalista especializado, editor do Jornal do Turismo e membro do Conselho Nacional do Turismo. “Deu um exemplo de moralidade e transparência na gestão publica realizando uma gestão que deixa as bases para uma Embratur ainda melhor no futuro.”

Nesta área da transparência, Dino teve uma atuação firme. Logo que assumiu, determinou que todos os contratos da Embratur passassem por auditoria integral da Controladoria Geral da União e Auditoria Interna. Dino também implantou o site institucional da Embratur, que não existia, fornecendo todas as informações sobre contratos, gastos e agendas dos servidores da instituição.

Valorização dos servidores - A gestão de Dino também foi marcada pela valorização dos servidores da instituição, dando posse aos primeiros concursados da história da Embratur. Por outro lado, Dino também valorizou os servidores da casa, promovendo profissionais com longa carreira de dedicação à Embratur.

Foi o caso de Kátia Bittencourt, com mais de 20 anos de serviço, que foi promovida a chefe de gabinete. E de Leila Holsbach ,com mais de 30 anos de dedicação à Embratur, que foi a primeira servidora promovida à Diretoria de Mercados Internacionais na história da instituição.

O reconhecimento e bom relacionamento de Dino com os servidores e com o setor turístico não o impediram de enfrentar os principais problemas do setor. Foi o caso dos preços de hotéis e passagens aéreas no Brasil. Por diversas vezes, Dino apontou o problema, enviando ofícios tanto aos empresários como à FIFA cobrando mais responsabilidade.

A partir de seu apelo, a presidenta Dilma lançou uma Comissão Interministerial sobre Competitividade no Turismo para garantir que o turista que venha para a Copa encontre bons preços e não saia com má impressão do Brasil.

"Flávio, realmente, é um divisor de águas", afirma Walter Luiz de Carvalho Ferreira, servidor da Embratur há 30 anos. “Poucas vezes, a instituição teve um protagonismo tão grande. Apesar do Flávio não ter construído sua carreira na área turística, conseguiu estabelecer um protagonismo nessa área”.

Diálogos pelo Maranhão - A saída de Dino antes do prazo legal para desincompatibilização de cargos públicos foi anunciada ainda ano passado, quando decidiu se dedicar ao Movimento Diálogos pelo Maranhão, que há um ano vem promovendo debates em todo o estado aos finais de semana. Com horário integral no Maranhão, Dino articulará ações e finalização do Programa de Governo que será apresentado aos maranhenses durante o período eleitoral.

Em 2013, aos finais de semana, Dino percorreu todas as regiões do estado ao lado de lideranças políticas, religiosas, empresarias, movimentos sociais, trabalhadores, estudantes e diferentes segmentos da sociedade para construir soluções para melhorar os índices sociais do Maranhão. Em cada evento, Dino ouve sugestões de cada região e está finalizando um grande diagnóstico sócio-econômico do estado, bem como das potencialidades que poderão contribuir para o desenvolvimento do estado.
Design de NewWpThemes