22 de fev de 2014

Prefeito Edivaldo e secretário Diogo Lima (Urbanismo)
entregam título de propriedade a moradora
O prefeito Edivaldo Holanda Júnior entregou na manhã deste sábado (22) mais 335 títulos de propriedade de imóveis às famílias residentes nos bairros Mauro Fecury I e Vila Nova. A entrega dos documentos que garantem a posse às famílias aconteceu na U.E.B. Prof. Carlos Saads, na Vila Mauro Fecury I.  Essa ação é a terceira etapa do projeto “Minha Casa é Legal”, que objetiva regularizar o passivo urbano referente à ocupação espontânea em São Luís.

O prefeito Edivaldo Holanda Júnior destacou que após a retomada do programa, iniciado ainda na gestão de Jackson Lago, foram entregues mais de mil títulos nas regiões do Pólo Coroadinho e Itaqui-Bacanga. A meta é entregar 10 mil títulos de propriedades até o fim da gestão.  “Estamos aqui na Área Itaqui Bacanga entregando mais 300 títulos de propriedades aos moradores da Vila Mauro Fecury I, através do “Programa Minha Casa é Legal”, um dos principais programas que temos nesta gestão garantindo cidadania e dignidade às famílias. Sinto-me muito feliz com essa oportunidade de ver o sorriso estampado no rosto de quem recebe o titulo de posse da sua casa, numa região tão carente”, afirmou Edivaldo. 

Dona Maria de Lurdes Damião, uma das contempladas pelo programa disse que receber o titulo é um sonho realizado. “Sou uma das moradoras fundadoras desse bairro, moro aqui há mais de 30 anos e achei maravilhosa a notícia que eu iria receber o titulo da minha casa. É uma benção de Deus, um sonho realizado e eu só tenho que agradecer ao prefeito por lembrar de nós, que somos quem mais precisa”, disse.

O objetivo é que 10 mil títulos de propriedades sejam entregues até o fim da gestão, que vislumbra novos horizontes para milhares de famílias do município de São Luís. Desde o mês de março do ano passado, a Prefeitura de São Luís deflagrou o programa de entrega de títulos de propriedade para famílias em ocupações consolidadas. A primeira etapa foi realizada no bairro do Coroadinho, onde 757 famílias já foram contempladas.

Acompanharam a entrega dos títulos de propriedade os secretários Diogo Diniz Lima (Urbanismo e Habitação); José Cursino (Planejamento); Rodrigo Maia (Meio Ambiente); Marcelo Coelho (Agricultura e Pesca); Geraldo Castro Sobrinho (Educação); Andrea Lauande (Criança e Assistência Social); Carlos Rogério (Trânsito e Transportes); o deputado federal Weverton Rocha (PDT); os vereadores Edmilson Jansen (PTC), Osmar Filho (PSB), Amando Costa (PSDC) e Pedro Lucas Fernandes (PTB).
NECESSIDADE DE UM MANDATO

Roseana Sarney precisa de um mandato. Pode até não precisar de um governador aliado no Palácio dos Leões, mas ela sabe que ficar sem imunidade parlamentar e foro privilegiado, poderá custar um preço que ela não estaria disposta a pagar. Por isso é inevitável que ela deixe o governo e se candidate a uma vaga na Câmara Federal ou Senado. A afirmação é do deputado Rubens Pereira Junior (PC do B), líder da Oposição na Assembleia Legislativa, que além de deputado é advogado com especialização em direito constitucional. 

Para o deputado comunista, sem mandato, e diante das graves denúncias de irregularidades em seu governo, Roseana Sarney poderá ser julgada por um juiz de primeiro grau, que tem muito mais independência para decretar uma media extrema, como uma prisão cautelar, ou busca e apreensão, por exemplo; diferente dos tribunais superiores onde os Sarneys tem forte influência e jamais são julgados, concluiu o parlamentar.

MESTRE DE OBRAS

Parece que o secretário de infraestrutura, Luis Fernando, quer se lançar candidato a mestre de obras. Seu discurso se resume apenas num tema: assinar ordem de serviço para construção de estradas. Estradas que não duram uma chuva.

CORRUPÇÃO ELEITORAL

A Oligarquia Sarney já se dá conta que apenas o histórico de corrupção eleitoral com dinheiro público, eufemisticamente chamado de “uso da máquina”, não é mais suficiente para vencer as eleições de 2014. Apesar dos bilhões de reais cedidos pelo generoso BNDES que estão torrando pelo interior a fora, nada disso parece surtir o efeito de outros tempos. Isso é o que mais desanima os integrantes da Oligarquia.

DE VOLTA PRA CASA

Com sua exoneração do cargo de presidente da EMBRATUR e o retono a São Luis para intensificar sua pré-campanha a governador, Flávio Dino deverá reassumir sua cadeira de professor da Faculdade de Direito da UFMA, provavelmente ministrando aulas de direito administrativo e constitucional.

REFORMA AGRÁRIA EM BAIXA

Por mais contraditório que possa parecer, mas o governo petista da presidente Dilma Roussef, dito aliado do MST, utilizou apenas 38% dos recursos destinado para a reforma agrária do orçamento geral da União de 2013. Dos R$ 2,5 bilhões autorizados pelo orçamento para 2013, apenas R$ 975,2 milhões foram aplicados. Daí, que os “companheiros” do MST não compreendem o descaso com a reforma agrária e partiram para o quebra-pau com a PM do governo também petista do Distrito Federal, Agnelo Queiro. A companheirada não se entende.

NADA COMO UMA DIÁRIA ATRÁS DA OUTRA

A Secretaria de Saúde do estado, sob o comando de Ricardo Murad, cunhado da governadora Roseana Sarney, tem-se mostrado muito eficiente em torrar o dinheiro dos SUS em diárias para seus servidores. Segundo o Portal da Transparência do governo do Estado, a Secretaria de Saúde foi a campeã disparada de gastos com diárias aos seus ilustres funcionários. Por lá se torrou a mixaria de R$ 5.856.249,42 (cinco milhões, oitocentos e cinqüenta e seis mil, duzentos e quarenta e nove reais e quarenta centavos).

LUIS FERNANDO JÁ É GOVERNADOR

Há mais de 2 anos que o secretário de infraestrutura, Luis Fernando, é o governador de fato do estado. É ele quem viaja nos aviões e helicópteros alugados pelo governo para voar pelo Maranhão inteiro fazendo campanha antecipada. É ele, sozinho, sem a presença de Roseana Sarney, que assina ordem de serviços, inaugura obras, faz discursos, pede voto,  enfim, movimenta-se como candidato em campanha e governador do estado. Ou seja, na prática, quem tem as rédeas do governo e as chaves dos cofres do Estado é o secretário Luis Fernando e seu tutor, Jorge Murad, esposo da governadora Roseana Sarney. 

E nada disso tem surtido efeito, face seu desempenho pífio nas pesquisas de intenção de voto. Se Luis Fernando for eleito indiretamente pela Assembléia Legislativa na eleição indireta, transformando-se em governador biônico, pouca coisa mudará, pois, na prática, hoje, ele é o governador de fato.  A dúvida que surge é a seguinte: um candidato que em quase 3 anos de campanha aberta não conseguiu atingir 15% de intenções de votos, nem tampouco foi capaz de unir em torno de seu nome nem mesmo o grupo político do qual faz parte, tem know how para se eleger governador com os votos dos deputados?

E Luís Fernando, isso é inegável reconhecer, não tem liderança política alguma porque jamais foi candidato do grupo Sarney. Ele é, isto sim, uma invenção e imposição da governadora Roseana Sarney e seu marido, Jorge Murad.

BOCA CALADA

Alguém tem notícia do secretário de Segurança, Aluizio Mendes? Desde que estourou na imprensa nacional e internacional a crise na segurança pública do Maranhão, que Aluizio Mendes desapareceu do mapa.  E não deixou saudades.

SOCIOLOGIA DO CARTEADO

O meio acadêmico espera ansioso pelas novas declarações de cunho eminentemente científico de Roseana Sarney, após suas declarações que  indicaram, segundo seus profundos conhecimentos de sociologia, que a explosão da violência no Maranhão era resultado diretamente proporcional do enriquecimento do Estado.

TRIBUNAIS DE FAZ DE CONTAS

Era só o que faltava! Não bastassem os tribunais de contas servirem apenas de aposentadoria para políticos, agora  querem mandar para o Tribunal de Contas da União ninguém menos que o senador Gim Argelo, do PTB do Distrito Federal, vice-lider do governo Dilma,  investigado no Supremo Tribunal Federal em nada menos que 05 inquéritos por crimes de  apropriação indébita, lavagem de dinheiro, peculato, corrupção passiva, crimes eleitorais e da Lei de Licitações.  Com as bênçãos dos caciques do PMDB, Renan Calheiros e José Sarney (sempre ele), Argelo já pede votos no Senado e se articula para ser fiscal do dinheiro público.

21 de fev de 2014

Acuada, Roseana Sarney blefa e ameaça não renunciar
A senha foi dada em entrevista de Ricardo Murad ao Jornal O Imparcial, no domingo passado, quando do alto de sua prepotência sentenciou: “é impossível Luis Fernando não ser governador”.
A frase carregada de desprezo à vontade da população tinha um alvo a mais: a Assembleia Legislativa, notadamente seu presidente Arnaldo Melo (PMDB).
Este sabiamente recolheu-se ao silêncio. Murad voltou ao ataque desta vez usando o Facebook para desancar o “correligionário”. Desta vez, com críticas ao fato do presidente do Legislativo não regulamentar as regras de uma eleição, que pasmem, a própria governadora diz não estar decidida quanto à sua renúncia. Isto é, seria o mesmo que regulamentar o nada.
Uma vez mais não houve reação por parte de Arnaldo. Diante da altivez de Melo, entrou em cena o principal artífice da pré-candidatura do secretário Luis Fernando. Sempre discreto e distante aparentemente da política, o primeiro-damo, Jorge Murad, partiu para o ataque e escalou como porta-voz ninguém menos que o vice-presidente da Assembleia, deputado Max Barros (PMDB).
Numa operação desastrada, Max teria passado de poltrona em poltrona do plenário da Assembleia disseminando um inexistente acordo entre Arnaldo Melo e Roseana Sarney para abrir mão de assumir o governo em troca de benesses pessoais.
De tão absurda a estória não poderia ser levada a sério. Mas, causou um efeito devastador na relação entre os Palácios dos Leões e Manoel Beckman.
O presidente peemedebista faz vistas grossas aos ataques em público. Mas, nos bastidores recebe a solidariedade da maioria de seus pares, que pela primeira vez nas últimas décadas poderão eleger um coleda de parlamento governador do Estado.
Ciente de que as chances de Luis Fernando se eleger indiretamente pela Assembleia são remotas, Roseana Sarney voltou a fazer ‘beicinho’ e numa espécie de chantagem aos deputados voltou a afirmar que só vai decidir sua renúncia a partir de março.
Nada que Roseana Sarney faça agora visando intimidar Arnaldo Melo e os deputados altera o jogo. Afinal, as cartas já estão na mesa. Roseana e os Murad estão acuados e o tempo em seu desfavor. Portanto, só os resta jogar as cartas na mesa e reconhecer a derrota ou pagar pra ver...
A menos de uma semana para o início oficial do Carnaval de 2014 de São Luís, a Prefeitura intensifica o ritmo nas ações de melhoria da infraestrutura para os cinco dias de folia. Os serviços estão sendo executados pela Secretaria de Obras e Serviços Públicos (Semosp), por meio das superintendências de infraestrutura viária, iluminação e limpeza pública, na Passarela do Samba e no circuito de Carnaval, na área Centro e nos Vivas dos bairros, atendendo solicitação do Governo do Estado.

“Todo o circuito de carnaval está recebendo melhorias em várias frentes. Equipes de iluminação, limpeza e pavimentação estão trabalhando continuamente a fim de garantir conforto, segurança e beleza ao carnaval de rua da cidade”, disse o secretário de Obras e Serviços Públicos, Antônio Araújo Costa.

Durante a última semana, várias equipes fizeram reparos no pavimento das vias que compreendem parte do circuito do carnaval. No Centro, as ruas do Passeio, São Pantaleão, a rotatória do Bacanga e a via da Passarela do Samba foram contempladas com massa asfáltica.

Para garantir segurança e conforto dos foliões durante dias de folia, a Semosp iniciou a instalação de iluminação especial. Na Passarela do Samba (Anel Viário) foram instalados dois transformadores, um com 225 KVA e outro com 112 KVA de potência, além de torres de projeção e geradores.

As vias do Centro e Madre Deus, onde passarão os cortejos de carnaval, também receberam a iluminação de, aproximadamente, 170 projetores de vapor metálico, que emitem luz branca, de dois mil watts de potência. Os Vivas também receberam um reforço na iluminação e manutenções necessárias.

LIMPEZA - Para manter a limpeza dos pontos da folia será montada uma agenda especial de serviços. Uma semana antes do início das festividades estão sendo realizadas varrições, capina, roçagem e pinturas de meio-fio, além do serviço de coleta. O cronograma compreende a área da Passarela do Samba, o Circuito da Praia Grande (no Canto da Cultura, da Faustina e Praça Nauro Machado), Circuito Madre Deus (Praça da Saudade, Ponto de Fuga e Praça do Cemitério do Gavião) e os Vivas dos bairros Anjo da Guarda, João Paulo, Liberdade, Cidade Operária, Maiobão, Estiva, Vila Embratel, Vinhais e Bairro de Fátima.

Durante os cinco dias de carnaval, agentes de limpeza permanentes darão suportes nos pontos citados, fazendo a coleta de resíduos, varrição e lavagem após o encerramento das programações.
O movimento Diálogos pelo Maranhão visita o Tabuleiro de São Bernardo, projeto do Governo Federal de irrigação para o Baixo Parnaíba. No município de Magalhães de Almeida, Dino vai até o local em que foi instalada grande parte do maquinário do projeto de irrigação, programa federal para o leste maranhense e Piauí, mas que ainda precisa de esforços conjuntos entre as três esferas de poder - Federal, Estadual e Municipal - para atender às necessidades maranhenses.

A visita ao tabuleiro São Bernardo é marcada pela prioridade dada por Flávio Dino ao desenvolvimento do Maranhão com o incentivo à agricultura e a valorização do pequeno e médio agricultor. A efetivação de políticas voltadas para o desenvolvimento da agricultura faz parte do compromisso com a atenção aos arranjos produtivos pelo Maranhão, proposta amplamente debatida pelo pré-candidato ao governo do estado.

Na opinião de Flávio Dino, a atenção e o investimento de políticas públicas para a agricultura maranhense fazem parte não só de uma política de incentivo à produção, mas de melhoria nos índices sociais – incidindo diretamente na vida das pessoas – gerando emprego e renda para maranhenses, valorizando nossas riquezas e evitando o êxodo da população nascida no Maranhão em busca de oportunidade em outros estados.

Ao longo dos debates ocorridos no movimento Diálogos pelo Maranhão em todas as regiões do estado, a priorização da agricultura familiar tem sido uma questão presente. Flávio Dino defende o investimento e parcerias para dinamizar a produção, a industrialização e a comercialização dos produtos gerados pelo potencial agropecuário e pesqueiro maranhense.

Exemplos de desenvolvimento através da agricultura existem no Brasil e no Nordeste, como é o caso de Petrolina em Pernambuco, que hoje exporta manga e uva para exportação. Além do impacto econômico positivo para todo o estado, Petrolina é polo da região e melhora a qualidade de vida, renda e emprego para a população.

O Governo Federal já possui um diagnóstico completo a respeito das condições do tabuleiro São Bernardo, que está incluso no Programa de Aceleração do Crescimento. Para coloca-lo em prática, é necessário além dos esforços federais, que obras que beneficiem a agricultura familiar sejam colocadas em prática com esforço de um governo estadual comprometido com o desenvolvimento da área, atendendo a população da região.

É o que se constata ao perceber que, dos 5 mil hectares de irrigação previstos, apenas 178 realmente funcionam hoje, produzindo banana, goiaba, macaxeira, coco, milho, caju e mamão. Organização e funcionamento do tabuleiro São Bernardo são passos fundamentais para que a produção agrícola em pequena e média escala se desenvolvam na região do Baixo Parnaíba.
O ministro do Trabalho e secretário nacional do PDT, Manoel Dias, disse nesta manhã de sexta-feira, durante solenidade na Fiema - Federação das Indústrias do Estado do Maranhão - que a direção nacional do partido não vai interferir nas decisões que a legenda tomar sobre estratégias para as eleições 2014 no Estado. Ressaltou apenas que seria conveniente que a coligação tenha alguma afinidade com o programa do partido e compromisso com o trabalhador brasileiro.

Segundo Manoel Dias, a direção nacional não vai interferir no processo das alianças estaduais, apenas analisará por conta do projeto nacional que é eleger uma grande bancada. “Sou secretário geral do partido, estamos num período pré-eleitoral e temos um projeto prioritário que é ampliar nossa bancada no Congresso Nacional e participar das chapas majoritárias nos estados, mas os diretórios têm autonomia para definir essa questão”, afirmou.

“O Maranhão sempre teve uma boa representação e estamos construindo uma chapa com candidatos que podem contribuir com o projeto nacional, que é ampliar nossa bancada no Congresso, de forma que é isso que vamos discutir com os companheiros aqui. Quanto aos estados, os diretórios têm autonomia para realizar os acordos e fazer uma grande campanha”, observou.

O Ministro foi convidado da 16ª edição do Encontro com Empresários e concedeu coletiva à imprensa antes de participar do evento organizado pela Federação das Indústrias do Estado do Maranhão, onde foi recebido pelo presidente, Edilson Baldez das Neves, no salão de eventos da Casa da Indústria Albano Franco, sede da entidade empresarial. A reunião contou com dezenas de empresários, que ouviram a palestra de Manoel Dias sobre mercado de trabalho.  

O deputado Weverton Rocha, o presidente estadual do partido, ex-deputado Julião Amim, e parte da direção estadual acompanharam a entrevista do ministro. Em conversa com o titular do blog, Julião afirmou que o PDT estará na aliança com os partidos que vão apoiar a candidatura do presidente da Embratur, Flávio Dino. 
Os deputados Othelino Neto (PCdoB), Bira do Pindaré (PSB) e Magno Bacelar (PV) se envolveram ontem numa prolongada discussão sobre a provável renúncia da governadora Roseana Sarney.  Os dois parlamentares da oposição refutaram defesa da pré-candidatura de Roseana ao Senado Federal feita pelo vice-líder do governo e afirmaram que "se houvesse amor ao Maranhão, a governadora permaneceria no cargo e cumpriria sua missão”.

Num tresloucado discurso, na tribuna, Bacelar enalteceu as ações do governo e defendeu a pré-candidatura da governadora. Segundo o parlamentar governista, “são as bases, os eleitores é a classe política que está pedindo que a nossa governadora vá para o Senado”, enfatizou.

Em resposta ao pronunciamento bajulador do vice-líder do governo,  Othelino observou que a governadora está realmente se despedindo porque, segundo ele, “depois de tantos anos de insensibilidade, resolveu conceder um aumento aos servidores do Estado do Maranhão”. Othelino lembrou ao deputado governista os números relativos à Segurança Pública que, comparados aos governos de José Reinaldo e Jackson, pioraram. “A Polícia Civil vive o seu pior momento na história do Maranhão”, acrescentou.
 
Para Bira, o aumento concedido pela governadora aos servidores não é uma concessão, mas uma troca, que não foi de graça, que os servidores tiveram que abrir mão do passivo judicial ao aderir ao Plano Carrreira, Cargos e Salários do governo do Estado. “Essa festa ao anunciar esse aumento soa como uma bondade concedida pela governadora, quando na verdade não é”, observou.

Bira lembrou que, no mesmo momento do anúncio do aumento dos servidores, a governadora declarou que só em março vai decidir se fica ou não no governo, o que, segundo ele, confirma a manobra da eleição indireta, na Assembleia, como nunca aconteceu no País, e que começou com a indicação do vice-governador para o Tribunal de Contas do Estado.

 “A governadora deveria permanecer no cargo, deveria cumprir a sua missão para a qual foi eleita e não abandonar o estado na situação em que se encontra, nesse caos em que se encontra o Sistema Penitenciário, no caos em que se encontra a educação, no caos em que se encontra o Sistema de Saúde. Se houvesse afeto, se houvesse amor ao Maranhão, a governadora permaneceria no cargo e cumpriria sua missão”, defendeu Bira.

Magno Bacelar, momentos antes, havia feito um vibrante pronunciamento defendendo a pré-candidatura Roseana ao Senado. Um dos pontos defendidos por ele e que credenciaria a governadora  a disputar o Senado foi o anúncio de aumento de até 18 por cento nos salários dos servidores efetivos. Para os parlamentares da oposição é muito pouco para quem passou seis anos sem conceder qualquer tipo de benefício ao funcionalismo e transformou o Maranhão num caos administrativo. 

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (19), em primeiro turno, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 247/13, que fixa prazo de oito anos à União, aos estados e ao Distrito Federal para que todas as unidades jurisdicionais contem com defensores públicos. Foram 392 votos a favor e 2 abstenções.

Para o deputado Domingos Dutra (SDD/MA), a aprovação é um avanço importante para a cidadania brasileira porque irá garantir aos mais pobres o acesso a justiça. “O desafio agora é garantir que a emenda seja executada, bem como, criar comarcas em todos os municípios brasileiros”, afirmou o deputado.

Segundo a proposta, o número de defensores deverá ser proporcional à demanda efetiva pelo serviço e à respectiva população. Durante esses oito anos, os defensores deverão trabalhar, prioritariamente, nas regiões com maiores índices de exclusão social e de adensamento populacional.
                                                                               

20 de fev de 2014

Acerca da insinuação sobre a pesquisa realizada e divulgada nos últimos dias, pela empresa Data M, onde o Grupo Sarney apareceu em total desvantagem, o jornalista e titular do blog, José Machado esclarece que: 

- Todo o processo de execução da pesquisa ocorreu dentro da legalidade, seguindo metodologia científica idêntica à utilizada pelas instituições do setor que atuam em todo o país;

- A DataM alcançou credibilidade incontestável em pesquisas anteriores, tendo sido, inclusive, a única a antecipar e acertar sobre as intenções de votos dos eleitores nas eleições municipais em 2012;

- O titular do blog sinaliza, portanto,estar sendo vítima de campanha articulada pelo  grupo Sarneysista, que fez uso, na bancada da Assembleia Legislativa, de discurso contrariado do deputado César Pires, na condição de porta-voz das acusações contra os resultados apurados e divulgados;

- Machado afirma que o governo do Estado tem em seu poder  resultados de pesquisas encomendadas paralelas ao período dos levantamentos realizados da Data M, mas não divulgam por saberem que os mesmos reforçam a coerência dos números levantados pela empresa Data M;

- Por fim, a Data M reitera sua postura de empresa idônea no mercado, com atuação imparcial quanto a clientela e comprometida com a não-manipulação da realidade observada  em suas pesquisas.



Obra prevê uma nova modalidade de atendimento aos consumidores

O programa de revitalização de feiras e mercados de São Luís iniciado pelo Mercado do Anil nesta semana se estenderá para a feira do Coroadinho. O início das obras é um compromisso firmado pelo Edivaldo Holanda Júnior de garantir uma estrutura com mais segurança aos feirantes e consumidores. No Mercado do Anil, a previsão é que dentro dos próximos 70 dias seja iniciada a colocação do telhado.

“Durante esse período, estaremos trabalhando, conforme determinação do prefeito Edivaldo, para que não haja transtornos no atendimento do público e nem prejuízo para os feirantes Além da cobertura, a obra de revitalização do Mercado do Anil irá inaugurar uma nova modalidade de atendimento aos consumidores. Uma praça de alimentação será construída de maneira estratégica no prédio do mercado”, disse o secretário de Agricultura, Pesca e Abastecimento, Marcelo Coelho.

As obras no mercado estão sendo custeadas com recursos exclusivos do orçamento da Prefeitura de São Luís. O valor investido será de R$ 1,537 milhão. A próxima feira a integrar o programa de revitalização é a do Coroadinho, obra que já está em processo de licitação. A feira, ainda em funcionamento, deverá ser substituída completamente por novas instalações.  “Mesmo com recursos próprios vamos seguir um calendário que deve cobrir duas feiras neste segundo ano de administração”, prevê o secretário da Semapa.

A Prefeitura de São Luís administra, em parceria com associação de feirantes, mais de 60 feiras na cidade. Dessas, 28 funcionam em estruturas físicas que se encontram em situação precária devido ao abandono de anos. Outras 32 feiras são realizadas de maneira itinerante em pontos estabelecidos pela Semapa.

OBRAS
Além da cobertura, a obra de revitalização do Mercado do Anil irá inaugurar uma nova modalidade de atendimento aos consumidores. Uma praça de alimentação será construída de maneira estratégica no prédio do mercado.

No período em que as obras estiverem sendo realizadas, os proprietários de boxes no mercado terão garantia de funcionamento regular. A garantia é do secretário Marcelo Coelho. Para não haver suspensão de serviços, causando prejuízos aos comerciantes, a partir de estudos realizados, a Semapa procedeu com deslocamentos temporários de proprietários de boxes.

Antes de iniciar a reforma, a Secretaria realizou o cadastro dos donos de boxes. Todo o trabalho de reforma e revitalização é da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), acompanhado de perto pela associação de Feiras. “Eles são nossos parceiros. Estamos trabalhando juntos para obter o melhor resultado”, afirma Marcelo Coelho.


O projeto de reforma do mercado do Anil, bem como todo o programa, está sendo assessorado pela Superintendência de Vigilância Sanitária. Diariamente circulam pelo principal mercado do bairro cerca de mil pessoas, moradores do Anil e bairros adjacentes.
Em discurso proferido na Tribuna da Câmara dos Deputados, em Brasília, o deputado Domingos Dutra (SDD) criticou licitação feita pela governadora Roseana Sarney (PMDB) Roseana Sarney para comprar duas toneladas e meia de camarões.

“Em entrevista coletiva Roseana falou uma preciosidade: que a violência no Maranhão tinha crescido, porque é um Estado rico. A riqueza esta apenas na casa dela, sustentada com dinheiro público, porque no auge da crise ela abriu uma licitação para comprar comida para a residência oficial”, disse o deputado.

Para o parlamentar, é importante que os maranhenses saibam para onde vai o dinheiro público do Estado, pois além dos gastos com alimentação tem ainda, os recursos utilizados para pagar voos  e propagandas políticas. “Amanhece o dia, e grande parte da população do Maranhão, não consegue tomar café com farinha seca. Muitos vão para a roça e, como ao meio-dia não têm nada para comer; voltam para a roça do mesmo jeito. E a Governadora Roseana Sarney esnobando com dinheiro público”, se indignou o deputado.

Domingos Dutra, citou da Tribuna alguns dos alimentos que constam na licitação do Palácio dos Leões como, 750 kg de patinha de caranguejo fresca, 800 kg de filé de pescada amarela fresca, duas toneladas e meia de quatro tipos de camarões sendo: 800 kg de camarão fresco grande com cabeça, 700 kg camarão médio com cabeça para torta, camarão seco torrado (com pouco sal) – graúdo sem cabeça e casca, e 250 kg de camarão seco graúdo sem cabeça e casca.

O banquete conta também com oito sabores diferentes de sorvete como, 100 kg de sorvete de Bacuri, 200 Kg de sorvete de açaí, 100 kg de sorvete de cajá, 80 Kg de sorvete de creme, 200 Kg de sorvete de chocolate, 100 Kg de sorvete de cupuaçu, 90 Kg de sorvete de tapioca e 80 kg de sorvete de coco. Quase uma tonelada de sorvete soma um valor de R$ 45.600,00. 
Do blog do José Machado

O grupo Sarney já teria dado a ordem: o Instituto Data M tem que ser trucidado e o seu diretor, jornalista José Machado, desmoralizado, pelo atrevimento de fazer pesquisas no feudo maranhense e divulgar o resultado desfavorável ao grupo.

Assim, jornalistas, blogueiros, marqueteiros, advogados, deputados e especialistas em pesquisa de opinião pública foram chamados. Restam dúvidas de que capangas não tenham participado. Por isso, estou me precavendo, alertando sobre o assunto o Ministério Público do Estado, o Ministério Público Eleitoral, a Polícia Civil, a Polícia Federal, a Justiça Estadual e a Justiça Eleitoral.

Na reunião, ficou acertado que um processo será movido contra o Instituto Data M. “Tem que vasculhar tudo. Alguma coisa deve estar errada. Se não houver, é para inventar”, teria, dito um dos participantes, bem ao estilo Sarney de “brindar” os adversários.

Noutra decisão ficou claro que a mídia ligada ao grupo não deve deixar o instituto e seu diretor em paz. Ontem um aprendiz de blogueiro já postou que os percentuais da pesquisa em São Luís não batem 100 por cento. Outro menos votado afirmou que a pesquisa foi feita “no quintal do Flávio Dino”. Talvez esse “quintal não seja murado…

Em sessão de ontem, o deputado César Pires, líder do governo , fez um contundente discurso na Assembleia Legislativa, tentando desclassificar a pesquisa, a empresa e o jornalista. Principal acusação: vinculação com o vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha.

Hoje, o Jornal O Estado do Maranhão estampa matéria com fotos de casa de minha propriedade, no Cohatrac, endereço da sede da empresa. Afirmam que a casa pertence a “parentes”. Terão que provar isso em juízo. Não respeitam nem a privacidade alheia, os filhos, a família.

Ou seja: querem me colocar na vala comum. No Maranhão, não pode haver pessoas idôneas… É como em Pedrinhas: o preso que não comungar de todo o tipo de bandidagem, está fadado à morte.

Tenho a dizer que as duas pesquisas seguiram toda uma metodologia científica para ser realizadas e os trâmites legais para veiculação. Único “defeito”: não deu o primeiro lugar aos pré-candidatos ao governo e ao Senado ligados ao grupo Sarney.

O governo estadual, estou seguramente informado, tem resultado de pesquisas tanto estadual quanto em São Luís, realizadas praticamente nos mesmos períodos dos levantamentos do Data M. Por que os números não foram registrados e divulgados? Claro, porque batem com os do Data M…

O Data M não faz pesquisa “para a oposição”. O Data M faz pesquisas para quem contratar o instituto. Nunca fez para o Governo do Estado porque nunca foi procurada. Mas devem saber, de pronto, que não negocia o resultado.

Estão querendo me intimidar, mas não vão conseguir. Nas eleições municipais de 2012 sofri o mesmo processo de perseguição. As acusações contra o Data M eram as mesmas de hoje. E o que aconteceu? Foi o único a “acertar na mosca” o resultado do pleito, calando a boca dos falseadores da verdade.

Por fim, devo dizer que não temo ameaças. Não devo obediência a nenhum grupo político do Maranhão. E todos sabem disso. Minha amizade pessoal com esta ou aquela pessoa não denota nenhum tipo de subserviência a ela. Amigos que conhecem a minha forma de proceder não me pedem que cometa iniquidades.

José Machado – diretor do Data M

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) criticou, na sessão desta quinta-feira (20), as precárias condições físicas dos prédios das delegacias do Estado, um dos motivos da paralisação dos delegados de polícia que cruzaram os braços em todo o Maranhão, em um movimento de advertência. O parlamentar relembrou palavras da própria categoria que, em uma reunião da Associação dos Delegados (Adepol), concluiu que a Polícia Civil vive hoje seu pior momento na história do Maranhão.

“Pasmem, senhores. Os prédios próprios das delegacias estão arriscando cair por cima das pessoas por falta de manutenção. Por conta disso, o governo do Maranhão está sendo obrigado a alugar diversos prédios para servir de instalações”, disse Othelino Neto durante o pronunciamento.

Othelino chamou a atenção para o fato de que há delegacias, no interior do Estado, que ainda nem, sequer, chegaram ao tempo da internet. “A base governista diz ser este governo tão bom e tão eficiente por estar revolucionando a segurança, mas há delegacia que não tem, sequer, internet ainda”, afirmou.

O deputado disse que fez o registro desse quadro, na tribuna, para mostrar um pouco do Maranhão real, pois a propaganda do governo só apresenta o Maranhão virtual. “O Maranhão da propaganda, de fato, é muito bonito, mas o real é um estado muito pobre com um povo que, infelizmente, sofre bastante com a falta de políticas públicas”, comentou.

Comparações - Em seu pronunciamento, Othelino rebateu deputados da base governista que foram à tribuna fazer comparações entre os governos de Roseana Sarney e os de José Reinaldo Tavares e Jackson Lago. O parlamentar lembrou que os indicadores da criminalidade cresceram na atual gestão e não com os antecessores.

“Com relação à comparação da gestão Roseana Sarney com os governos José Reinaldo e Jackson Lago, vejam que, a cada ano da governadora Roseana, os índices só pioraram, como, de forma alarmante, a Segurança Pública, entrou numa situação de caos”, observou Othelino Neto.
A ação de promoção do Brasil como sede da próxima edição dos Jogos Olímpicos concedeu à Embratur, sob a gestão de Flávio Dino, destaque no 46º Prêmio Colunistas Brasil. A premiação da autarquia mereceu medalha de ouro e também representou destaque para o trabalho de Walter Vasconcelos, escolhido Profissional de Marketing Promocional do Ano.

“Com uma estrutura montada em frente à London Eye, o público embarcou em uma fantástica viagem ao Brasil, conhecendo um pouco do que poderá ser visto no país”, explicou Walter Vasconcelos ao comemorar a premiação.

O trabalho promocional coordenado pela Embratur e seu presidente, Flávio Dino, têm recebido destaque constante no cenário nacional e internacional. Sobre isso, e o atual destaque da autarquia no 46º Prêmio Colunistas Brasil que mereceu medalha de ouro, Flávio Dino avalia que o Instituto está trilhando o caminho certo.
“Considero um reconhecimento ao trabalho da equipe da Embratur que, com tanto afinco, se dedica à promoção turística do Brasil no exterior”, declarou o presidente da Embratur.

Também premiado pelo corpo de jurados o diretor de Marketing da Embratur, Walter Vasconcelos, comemorou a premiação, valorizando o trabalho conjunto do Instituto.

“Fiquei muito feliz por esse reconhecimento e agradeço a todos que cooperaram nesse trabalho. Ninguém vence sozinho e há sempre uma plêiade de parceiros merecedores também”, destacou o diretor.
A possível eleição indireta para o cargo de governador do Maranhão voltou a pautar as discussões, nesta manhã desta quinta-feira (20), na Assembleia Legislativa.

O deputado Bira do Pindaré (PSB) levou o tema de volta ao plenário da Casa e explicou a manobra política arquitetada pelo grupo político da governadora Roseana Sarney.

Na avaliação de Bira, a chamada oligarquia, controlada pelo pai da governadora planeja e está executando a maior manobra política do Brasil e a recente declaração da governadora, que afirmou se decidirá em março se fica no comando do governo ou se renuncia para concorrer ao Senado confirma o plano.

O deputado lembrou que uma eleição indireta aconteceu no estado do Tocantins por cassação do governador e do vice no último ano de mandato. Na oportunidade, o presidente da Assembleia Legislativa foi eleito governador pelo período restante do mandato.

No caso do Maranhão não houve cassação, morte, ou grave problema de saúde da governadora e do vice, portanto, no entendimento do parlamentar o grupo político da governadora está utilizando uma manobra para eleger indiretamente o candidato do seu grupo político.

“O candidato da governadora patina e não cresce nas pesquisas, a oligarquia percebeu que a única chance dele disputar, com chance de vitória, as eleições de outubro é sendo candidato à reeleição. A oligarquia planejou essa manobra usou politicamente o TCE, com a indicação do vice-governador para o órgão, impedindo-o de assumir o Governo e criando a vacância necessária para a realização da eleição indireta”, explicou Bira.

O parlamentar entende que se a governadora tivesse responsabilidade com a população maranhense ela deveria permanecer no cargo, para o qual foi eleita, até o final do ano. “A governadora deveria ficar no cargo e cumprir com seu dever de gestora. O Maranhão vive uma crise sem tamanho em todas as áreas e ela prefere abandonar a população para buscar a imunidade do Senado Federal”, alertou Bira.
Design de NewWpThemes