24 de mai de 2014

O fim de semana está sendo de grande demonstração de força popular e unidade política na oposição maranhense. Flávio Dino (PCdoB) foi recepcionado em diversas cidades em eventos que mostram a adesão popular ao projeto de mudança para o Maranhão defendido pelo pré-candidato a governador e que reúne 9 partidos políticos. Lideranças políticas avaliaram positivamente os passos largos dados pela oposição rumo à disputa eleitoral de outubro.

Os eventos realizados pelo grupo de oposição em diversas cidades reuniram milhares de pessoas e lideranças sociais em torno da pré-candidatura de oposição. O projeto liderado por Dino tem apostado no modelo de mobilização popular para avançar até as eleições. Através do movimento Diálogos pelo Maranhão, Dino e muitas outras lideranças políticas espalhadas pelo estado estão ouvindo as demandas de cada cidade e mobilizando apoio popular.

Coordenador do movimento, Flávio Dino destaca o crescimento do sentimento de mudança no Maranhão. Para o pré-candidato a governador, a classe política compreende a importância do momento que o estado vive, refletida nas cidades e nas ruas. “É o que temos ouvido por onde passamos. Ouço cada maranhense, que com um abraço me fala sobre a esperança de um futuro mais digno,” disse o pré-candidato a governo.

Força popular

Os eventos da semana também tiveram grande participação. Em Imperatriz, Dino participou de um evento realizado pelo prefeito Sebastião Madeira, que reuniu milhares de pessoas na última quinta (22). Eventos setoriais também ocorreram, como a reunião com empreendedores da região tocantina e com a juventude, em Coroatá e Caxias com jovens.

Dino também participou de encontros com representantes da Igreja Católica em visita à Vila João XXIII e conheceu o trabalho de assistência social. No dia seguinte, foi recebido por um coletivo de pastores convidados pelo vice-prefeito de Imperatriz, Pastor Porto (PPS).

Na sexta, Dino esteve em Miranda do Norte e São Luiz Gonzaga, cidades em que foi recepcionado por grande público. Em todos os eventos, a bancada de oposição esteve presente, fortalecendo a unidade política. Pré-candidato ao Senado, Roberto Rocha (PSB) destacou a consolidação da aliança entre os 9 partidos. “Com a chegada do PSDB e PPS, esse projeto fica cada vez mais sólido e firme no propósito de fazermos a mudança que há muito tempo o Maranhão pede,” disse.

Fizeram parte dos eventos os deputados federais Pinto da Itamaraty (PSDB), Carlos Brandão (PSDB), Weverton Rocha (PDT), Waldir Maranhão (PP), Zé Vieira (PROS), Domingos Dutra (SDD) e Simplício Araújo (SDD).

A bancada estadual também se fez presente nos eventos, reunindo Eliziane Gama (PPS), Othelino Neto (PCdoB), Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Raimundo Cutrim (PCdoB), Cleide Coutinho (PSB), Neto Evangelista (PSDB), Gardênia Castelo (PSDB), Bira do Pindaré (PSB), Valéria Macedo (PDT), Carlinhos Amorim (PDT) e Marcelo Tavares (PSB).

Mobilização programática

Junto com a mobilização, Flávio Dino prepara um Programa de Governo que reflita a riqueza econômica do Maranhão e que compreenda também as desigualdades sociais, buscando formas de diminui-las. O diagnóstico feito por especialistas e ouvindo o conhecimento popular é de que, mesmo com tantas potencialidades e riquezas produzidas, o estado ainda precisa avançar na qualidade de vida.

“O Maranhão precisa de um governo que tenha sensibilidade para olhar de perto a vida do seu povo. Propomos a substituição do modelo de poucos para poucos, vamos concretizar um projeto de todos para todos. É hora de uma política moderna e transformadora,” afirmou.

Unidade política
A reunião do coletivo de 9 partidos de oposição marcou a última sexta. O debate entre presidentes das nove legendas que fazem parte do projeto de mudança para o Maranhão girou em torno da organização das chapas proporcionais.


As convenções dos partidos que compõem o Partido do Maranhão começam a partir do dia 14 e devem se espalhar por todas as regiões. A agenda final deve ser divulgada nos primeiros dias de junho. Além das convenções partidárias, os presidentes de todos os 9 partidos discutiram a organização das chapas proporcionais. O debate contou com a presença dos pré-candidatos da chapa majoritária. 
Sinceramente ainda estou tentando acreditar que o senhor João Castelo, ex-prefeito que acabou com a cidade e só construiu obras de papel, que se desmancharam com as primeiras chuvas em 2013, ainda esteja querendo se candidatar a senador e logo pela coligação que praticamente lhe obrigou a vestir o pijama.

Castelo foi um prefeito nocivo a São Luís. Em quatro anos na prefeitura procurou apenas resolver os seus problemas de ordem financeira, deixando a população no mais completo abandono e sem serviço público, principalmente em setores essenciais como saúde, educação.

Como se não bastasse as denúncias de corrupção e favorecimento de empreiteiras amigas, como a que se apoderou da usina de asfalto da prefeitura e sucateou, ainda endividou ao município em mais de um R$ 1 bilhão   e entregou a herança maldita ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior.  

Será que não temos memória? Será que já esquecemos o que esse homem pequeno fez com a cidade e com os servidores municipais? Vale apenas lembrar que, além da dívida astronômica, rateou o dinheiro do pagamento do funcionalismo do mês de dezembro com empreiteiros amigos.  

É difícil de acreditar que esse cidadão que afundou a cidade, que só construiu pequenas obras de papel, ainda esteja querendo ser candidato ao Senado e logo pela coligação de partidos que o varreu da prefeitura.

É muita cara de pau desse sujeito com passado nebuloso e histórico de péssimo administrador esteja querendo se impor numa coligação que o detesta. O pior é que fala como se ninguém se lembrasse da lambança que foi sua administração e ainda usa o nome do povo como fez numa entrevista à TV Guará na noite de sexta-feira.

Haja cara de pau. Se estivéssemos num país sério, o Tribunal de Justiça do Maranhão já teria desengavetado os processo que existem contra ele e nos livrado deste embuste cego, surdo e sem noção do ridículo que está fazendo.              

23 de mai de 2014

O prefeito Edivaldo decretou estado de emergência nas áreas do município de São Luís mais afetadas pelas intensas chuvas que caíram na cidade desde o início do mês. O decreto cobre 41 bairros da capital maranhense. A decisão considerou parecer técnico favorável da Superintendência de Defesa Civil de São Luís, em virtude do desastre classificado e codificado como “Chuvas Intensas”, seguindo a Codificação Brasileira de Desastre (Cobrade), do Ministério da Integração Nacional.

No decreto, o prefeito Edivaldo esclarece que os temporais que provocaram inundações, afetando diversos pontos da infraestrutura da cidade e desabrigando de maneira crescente famílias inteiras, superaram a capacidade de resposta do poder público.

Pelo texto está garantida a mobilização dos órgãos municipais nas ações de resposta ao desastre e reabilitação das áreas afetadas, convocação de voluntários e realização de campanhas de arrecadação de recursos, sob coordenação da Superintendência de Defesa Civil Municipal. As ações visam facilitar a assistência à população afetada pelo desastre.

A decisão do prefeito também autoriza a pronta desocupação de casas, bem como a entrada imediata nelas em situações de prestação de socorro. No caso de iminente perigo, fica autorizado o uso de propriedade particular e posterior indenização. O decreto assegura ainda que propriedades localizadas em áreas de risco serão desapropriadas por meio de declaração de utilidade pública.

A partir do documento, com base na Lei nº 8.666, estão desobrigados de processos licitatórios os contratos de aquisição de bens necessários às atividades de resposta ao desastre, prestação de serviços e obras de reabilitação do cenário devastado concluídas no prazo máximo de até 180 dias.  Esse prazo, improrrogável, será contado a partir da caracterização do desastre.

PRONUNCIAMENTO

Os agravos ocasionados à cidade levaram o prefeito a anunciar na quarta-feira (21), em pronunciamento oficial na sede da Prefeitura, a intenção de buscar parcerias com os governos federal e estadual para solucionar os problemas de infraestrutura ocasionados pelas chuvas. Edivaldo enfatizou a mobilização geral e permanente da equipe de governo para amparar as famílias desabrigadas e afetadas por prejuízos de toda ordem.

Na ocasião, o prefeito apresentou um balanço da grave situação financeira do município, os estragos causados em diversos pontos da cidade e os avanços registrados pela administração. Nas considerações do decreto de emergência, o prefeito ratifica o elevado e anormal índice pluviométrico ocorrido neste período, a cidade recebeu em apenas dois dias o volume de chuvas relativo a um mês inteiro.

ÁREAS EM ESTADO DE EMERGÊNCIA

Zona Urbana

Barramar, Altos do Calhau, Centro, Divinéia, Olho D´Água, Turu, Cohab, João Paulo, João de Deus, Jordoa, Anil, Aurora, Pão de Açúcar, Forquilha, Vinhais, Cohama, Bequimão, Angelim, Cohafuma, Cidade Olímpica, Cidade Operária, São Raimundo, Jardim América, Vila Embratel, Sá Viana, Areinha, São Cristovão, Coroadinho, Salinas do Sacavém, Túnel do Sacavém, Cohab Sacavém, Parque Sabiá, Fumacê, Anjo da Guarda, Vila Lobão e Vila Isabel Cafeteira.

Zona Rural


Vila Maranhão, Vila Funil, Airton Senna, Vila Itamar e Residencial Canaã.
O evento que marcou a adesão do prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB), ao campo mudancista reuniu milhares de pessoas na Maçonaria da cidade. Lideranças políticas do PSDB e de outros partidos também compareceram ao evento, realizado na noite de quinta-feira (22/maio). Antes, durante o dia e na véspera, Madeira acompanhou Flávio Dino em diversos eventos pela cidade, como reunião com empresários e pastores evangélicos.

“Se eu não estivesse convencido, teria me convencido hoje”, afirmou Madeira ao público, referindo-se aos discursos de Flávio nos eventos em que participou. “Não tem ninguém que fale com mais fluência dos assuntos do Maranhão”, afirmou.

Madeira pediu que Flávio recupere o orgulho de ser maranhense. “Não tem coisa que dá mais desgosto do que você ir Brasil afora e dizer que é do Maranhão e as pessoas fazerem chacota”, afirmou Madeira.

“Temos um estado que é rico e que não pode mais ser submetido às humilhações que é submetido em rede nacional”, afirmou Flávio Dino. “Quero que o Maranhão seja respeitado no Brasil e não mais visto como terra de problemas. Nosso estado é terra de gente honesta e trabalhadora”.


Os nove partidos que compõem a frente ampla da oposição maranhense se reuniu na manhã desta sexta (23) para discutir a organização das convenções estaduais para as eleições de outubro. Cada partido está se mobilizando para a organização de seus eventos em cidades diferentes. A ideia é descentralizar os eventos e espalhá-los por vários municípios.

As convenções dos partidos que compõem o Partido do Maranhão começam a partir do dia 14 e devem se espalhar por todas as regiões. A agenda final deve ser divulgada nos primeiros dias de junho. Além das convenções partidárias, os presidentes de todos os 9 partidos discutiram a organização das chapas proporcionais. O debate contou com a presença dos pré-candidatos da chapa majoritária.

Após a reunião, o pré-candidato a governador, Flávio Dino (PCdoB) falou do saldo positivo das frequentes mesas de debate entre os partidos. “A união de 9 partidos em torno de uma só causa mostra que o nosso grupo está forte e preparado para disputar as eleições e construir um novo modelo político para o nosso estado,” disse, ao lado dos presidentes dos 9 partidos.

Composta por PCdoB, PSB, PDT, PTC, PP, PROS, Solidariedade, PPS e PSDB, a aliança partidária denominada de “Partido do Maranhão” mostra cada vez mais força e unidade. Ao final da reunião, os presidentes dos partidos avaliaram positivamente o momento político atual. O destaque foi para a unidade construída ao longo dos anos e que finalizou com a aliança de 9 partidos que caminharão juntos nas eleições de 2014 e com uma candidatura consolidada nas pesquisas de intenção de votos em todo o estado.

Os presidentes partidários fizeram questão de destacar também a presença do PSDB e do PPS na reunião. Tendo declarado apoio á pré-candidatura de Flávio Dino em atos políticos realizados em maio, tanto PSDB quanto PPS participaram pela primeira vez da mesa de diálogos entre as siglas de oposição. A participação de Eliziane Gama (PPS) e Carlos Brandão (PSDB) foi elogiada pelos demais presidentes partidários como o fortalecimento do campo de oposição ao atual governo estadual.


Representando os partidos estavam, respectivamente: Milton Calado (PTC), Márcio Jerry (PCdoB), Zé Vieira (PROS), Simplício Araújo (Solidariedade), Roberto Rocha (PSB), Eliziane Gama (PPS), Carlos Brandão (PSDB), Waldir Maranhão (PP) e Chico Leitoa (PDT).
Em reunião na tarde de quinta-feira com parlamentares do bloco governista, no Palácio dos Leões, e da qual participaram os secretários Ana Graziele (Casa Civil) e Márcio Coutinho (Articulação Política), o pré-candidato ao governo do estado, Edinho Lobão reclamou que está só e pediu apoio dos deputados para tentar reverter o quadro adverso.

Segundo uma fonte fidedigna revelou ao blog, os participantes deixaram a reunião bastantes preocupados, pois ouviram do pré-candidato que se ele ganhar a eleição não haverá deputado secretário, o que, de plano, inviabilizaria a ascensão dos suplentes e o consequente desinteresses dos candidatos à eleição proporcional pela majoritária.  

Após a reunião, a fonte comentou que o discurso de Edinho seria uma incoerência, visto que ele está no Senado na condição de suplente do pai, que somente abriu do mandato por ter sido convocado pela presidente Dilma para assumir o Ministério das Minas e Energia. Lembrou ainda que Tatá Milhomem só está no exercício do mandato porque Roseana convocou Ricardo Murad para a Secretaria de Saúde.


Os cerca de vinte deputados presente no encontro com Edinho praticamente ouviram o pronunciamento do pré-candidato. O líder do governo, deputado César Pires, e Tatá Milhomem calados estavam e calados ficaram durante toda a reunião. 
O Ministério Público Federal de São Paulo encaminhou ao Supremo Tribunal Federal pedido de investigação contra o senador José Sarney por ter se beneficiado de informação privilegiada para sacar R$ 2 milhões do Banco Santos um dia antes da intervenção do Banco Central, em 2004.

Segundo informou o jornal Folha de São Paulo, o processo foi distribuído ao ministro Dias Toffoli, que já encaminhou ao procurador Geral da República, Rodrigo Janot, para emissão de parecer. 

O MPF diz que encontrou elementos concretos do delito de Sarney.

O ex-presidente será investigado pelo Supremo em decorrência do foro privilegiado.
                                                          



22 de mai de 2014

Deputados visitaram Refinaria de Bacabeira com diretor Petrobras
O deputado Simplício Araújo, membro da Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara Federal e da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Congresso, anunciou ontem, após visitar o terreno da Refinaria Premium, em Bacabeira, em companhia dos deputados Domingos Dutra, Marcelo Tavares, Eliziane Gama, Bira do Pindaré e Roberto Costa, que vai solicitar investigação sobre os R$1,3 bilhão já gasto com a obra, reduzida hoje a um terreno praticamente abandonado.

Os parlamentares foram a Bacabeira ver os investimentos que a Petrobras está fazendo na cidade, avaliar os assuntos periféricos que estão relacionados a obra prometida agora para funcionar em 2018, como por exemplo, o impacto no município e no Estado do Maranhão, mas, segundo afirmaram, não se sentiram contemplados com as informações passadas pelo Diretor de Abastecimento da estatal, José Carlos Cosenza.

“Todos nós sabemos que esta obra começou com apelo político muito forte no ano de 2010 e o que se ver aqui hoje é a desmobilização. A gente agradece a direção da Petrobras ter se deslocado até aqui para debater conosco sobre assuntos importantes, mas a gente não colheu subsídios para que possamos dizer que estamos contemplados”, enfatizou Simplício Araújo.

O parlamentar federal, após visitar o canteiro de obras, destacou que os elementos observados “nos levar a fazer um relatório à comissão e, em seguida, sendo eu membro da CPMI da Petrobras no Congresso, pedir que seja feita uma investigação também sobre o que ocorreu aqui entre 2010 e 2014”.

Mudança de foco – Os parlamentares foram informados pelo diretor da Petrobras que houve mudanças no projeto original por conta da oferta de mercado, o que deixou os parlamentares ainda mais apreensivos. O projeto, que previa a produção de gasolina de alta qualidade para exportação, agora se destinará a produção de óleo diesel para o mercado interno.

“Todo o Maranhão e o Brasil são conhecedores que essa obra começou com o intuito de produzir gasolina de alta qualidade para ser exportada, principalmente, para os Estados Unidos e hoje o que agente ver aqui é uma mudança de investimento. Pelo o que foi nos colocado, a Petrobras vai agora investir na produção de óleo diesel. Os mercados aqui em volta da refinaria e também a logística para distribuir esse produto não são adequados, eu diria inclusive, arriscando como leigo, que nós gastaríamos até três vezes mais para organizar a questão da logística, como estrada, ferrovias e hidrovias para a distribuição desse produto”, observou Simplício.

Para Araújo não existe justificativa, até do ponto de vista econômico, e muito menos viabilidade para a construção da refinaria para esse novo foco de produção. “Eu até coloco sob suspeição o realinhamento dessa obra num ano de eleição”.

Simplício disse ainda não acreditar que o então presidente Lula, que a então ministra Dilma e outras autoridades fizeram dessa obra um estelionato eleitoral, mas advertiu que tudo que viram caminha para esse fim. Ele adiantou que vai buscar mais informações a respeito do investimento, seja através de requerimentos da Comissão de Fiscalização e Controle, seja através da CPMI da Petrobras, que deve investigar Bacabeira, Abreu Lima, Pasadena e todos os recursos gastos pela Petrobras.

Os parlamentares que acompanharam o integrante da Comissão de Fiscalização, com exceção  de Roberto Costa, chamaram atenção para o fato do funcionamento está previsto para 2018, mas pelo o que viram afirmaram ser impossível que tudo fique pronto até lá, pois somente 13 por cento da obra está  concluída, mas já foram gastos 8% dos recursos, ou seja, R$ 1,3 bilhão.

“Nossa preocupação é que não se faça uso político eleitoral desse investimento em Bacabeira. Foi feito isso em 2010, quando prometeram entregar em 2014 e até hoje a Refinaria não saiu. Agora estão falando em 2018 e nós não podemos aceitar, em hipótese alguma, o uso eleitoral desse investimento aqui, caso a Petrobrás realmente confirme que construirá essa Refinaria. Acompanharemos agora os desdobramentos, inclusive sobre os investimentos que foram destinados para a compensação ambiental que, segundo a Petrobrás, o governo do estado já recebeu em torno de 70 milhões de reais”, observou o deputado Bira do Pindaré.

Já o deputado Domingos Dutra externou pessimismo com o eu viu na Refinaria Premium. Segundo parlamentar “só Deus sabe quando essa obra será iniciada pra valer e concluída”. 



O deputado Bira do Pindaré (PSB) parabenizou, nesta manhã de quinta-feira (22), o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, pelo “importante” pronunciamento proferido pelo gestor sobre situação enfrentada cidade após as fortes chuvas do mês de maio.

Na avaliação de Bira, o Prefeito ontem tomou uma atitude correta ao ser transparente reconhecendo as dificuldades que a cidade e a Prefeitura atravessam, sobretudo, dificuldades financeiras e ao mesmo tempo sendo claro ao pedir ajuda à Presidência da República e à Governadora do Estado. 

O parlamentar lembrou que o Governo do Maranhão tem feito convênios com quase todos os Municípios do Estado em termos de pavimentação asfáltica e outros serviços e, em São Luís, não há um convênio sequer do governo do Estado com a capital.

“Eu entendo que momentos como esse, em que a população atravessa duras dificuldades por conta das chuvas torrenciais que caíram, nos últimos dias em São Luís, é preciso haver um esforço conjunto, é preciso realmente haver uma parceira, uma ação solidária, é preciso haver uma união de forças em favor dos interesses públicos, em favor da coletividade”, defendeu Bira.

Para o Deputado, o interesse da população está muito acima das divergências políticas. Bira apelou para que a Governadora tenha a sensibilidade e possa atender esse pleito, garantindo os recursos necessários para que São Luís possa enfrentar este momento de dificuldade.   

O socialista ressaltou que a situação não é um problema só da Prefeitura de São Luís. As cidades de Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar enfrentam as mesmas dificuldades. Ele classificou como injusta a tentativa de se responsabilizar somente o Prefeito da capital.


“É preciso que haja uma ação convergente com recursos do próprio governo, da mesma forma que manda para qualquer município do interior. Então que possa ajudar o município e a capital de todos os maranhenses. Espero que a gente encontre um caminho que realmente seja o caminho mais adequado para enfrentar essa situação tão difícil”, afirmou Bira.
O coordenador do movimento Diálogos pelo Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), esteve nesta quarta-feira (21/maio) na Associação Comercial e Industrial de Imperatriz (ACII) para um debate com empresários. Flávio esteve acompanhado do prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB), e do vice-prefeito, Pastor Porto (PPS). 

O pré-candidato a governador defendeu a criação de um ambiente de negócios mais saudável para o estado. “É necessário haver uma separação do ambiente público e privado, pondo fim a extorsões que inibem o investimento empresarial”, afirmou Flávio. Ele defendeu ainda a ampliação das políticas tributárias de incentivo à produção e as Parcerias Público-Privadas para realização de grandes investimentos no estado.

O industrial Francisco Miranda, do setor metalúrgico, defendeu o maior investimento no ensino técnico, como forma de garantir às empresas uma mão de obra mais qualificada. “Hoje, na planta da Suzano aqui em Imperatriz, por exemplo, 90% dos engenheiros não se formou no Maranhão”, afirmou. Flávio defendeu a criação de uma nova universidade estadual na região tocantina para aumentar a formação de engenheiros, bem como a ampliação da rede de ensino técnico no estado.

“Fico feliz em ouvir planos e sonhos para Imperatriz, da qual não sou filho, mas onde estou radicado há 27 anos”, afirmou Marconi Marques, presidente da Associação dos Lojistas do Calçadão de Imperatriz. “O comércio de Imperatriz é que tem dado sustentação econômica à cidade, mas ainda não conta com devido apoio do estado”.

Flávio Dino defendeu o tratamento de Imperatriz como uma segunda capital do Maranhão, “com representantes da região tocantina no primeiro escalão”.

DIÁLOGOS COM EMPREENDEDORES
Em São Luís, acontece na próxima terça-feira (27), às 19h, no Hotel Holiday Inn (Avenida Castelo Branco, 375 - São Francisco), o Diálogos com Empreendedores. O evento terá a participação de Flávio Dino, que debaterá com a classe empresarial, comerciantes e profissionais liberais, políticas públicas voltadas para desenvolvimento econômico do estado.

“O Maranhão necessita de honestidade para a construção de um novo futuro. O setor privado deve ser chamado a empreender e investir em ambiente de transparência e respeito às leis, sem ser submetido a chantagens ou favorecimentos ilícitos. A corrupção deve ser combatida todos os dias e o exemplo deve vir dos altos escalões governamentais”, disse Flávio Dino.

Como compromisso, Dino destaca a proposta de criação da Secretaria de Transparência e Controle, que irá realizar o controle interno da administração, garantir o cumprimento da Lei de Acesso à Informação, apurar denúncias e fiscalizar a execução das despesas públicas, inclusive as realizadas mediante convênios.


Outra proposta de incentivo é a alteração da lei de cobrança do ICMS com o reescalonamento e criação de novas faixas de faturamento e percentuais para efeito de cobrança do importo. A medida visa dar mais capacidade de investimento, competitividade e empregos no segmento. 
O índice de 8,32% deve ser mesmo o melhor que a prefeitura pôde oferecer aos professores de São Luís.

As contas públicas municipais passam por um momento de rigoroso controle. A ordem é clara: é preciso cortar gastos em quase um terço. De acordo com documento enviado ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) pela prefeitura,quase a totalidade dos recursos do Fundeb já estão comprometidos só com a folha do magistério. Vale lembrar que o Fundeb não deve custear apenas o salário dos professores. Reformas em escolas, melhorias pontuais e até a aquisição de material podem ser feitos com o recurso.

Ainda assim, conseguiram fazer um planejamento para conceder um reajuste maior que o de muitas capitais brasileiras. Curitiba, modelo de desenvolvimento, concedeu apenas 5,38%. No ano passado, os professores da capital maranhense receberam 9,5% de aumento, além de vários direitos garantidos pelo estatuto, como progressões horizontais e verticais, adicionais por titulação e por difícil acesso. Além do aumento de salário, o poder público deve trabalhar também para conceder esses benefícios aos que fizeram o pedido do ano passado para cá.

Os professores hoje tem também uma garantia concedida a poucos profissionais, em poucas capitais brasileiras: podem usar um terço de sua carga horária para atividades extraclasse, como preparar aulas ou fazer algum curso de aprimoramento profissional. Essa conquista também foi viabilizada pela prefeitura no ano passado.

E mesmo assim, decidiram pela greve. A quem interessa o movimento? Provavelmente, não às crianças ou suas famílias.

21 de mai de 2014

Em discurso proferido na Câmara dos Deputados, o deputado Domingos Dutra (SD/MA), mostrou mais uma vez a sua indignação com a oligarquia Sarney. Para ele, mesmo com fim da ditadura militar em 1988, o Maranhão continua vivendo em um verdadeiro regime familiar.

“O Maranhão é o único Estado em que não teve alternância. Está fora do mapa do País: terminou a ditadura militar em 1985, com a Constituinte, mas continuou uma ditadura familiar”, afirmou o deputado.

Segundo Dutra, o estado está perdido e sem governo, os policiais estão fazendo passeata para pedir segurança para eles mesmos, uma escrivã foi assassinada dentro da própria delegacia, sem falar no acidente do começo do mês em que matou oito crianças por serem transportadas de forma errada em pau de ara

“Na semana passada a escrivã de polícia Loane, foi assassinada dentro da delegacia de polícia. Há 3 meses, os ra. policiais militares, fizeram uma passeata em São Luís pedindo segurança para si. Ou seja, quando policiais militares vão para as ruas pedir segurança para si é porque estamos no fundo do poço”, lamentou o deputado.

o deputado aproveitou a ocasião para lembrar os setenta ônibus que foram encontrados na última semana. Ônibus que foram mandados ao Maranhão pelo governo federal e estavam estocados para serem distribuídos durante a campanha eleitoral, para serem trocados por votos.  Dutra afirma que a oligarquia Sarney precisa acabar.

“Essa oligarquia que domina o Maranhão, há 48 anos, tem que ser mandada para o Afeganistão, porque nós já cansamos de tanta humilhação, de tanta gente que morre de morte matada ou de morte morrida, como aconteceu com a escrivã Loane, que foi assassinada dentro de uma Delegacia, ou com os 8 adolescentes que morreram num acidente quando carregados em pau de arara, enquanto o Governo do Estado da Sra. Roseana Mubarak guardava dentro da garagem 70 ônibus do Governo Federal”, se indignou Domingos Dutra durante seu discurso feito, na Câmara dos Deputados, em Brasília
Edivaldo defende parcerias com Estado e União para obras em São Luís
O prefeito Edivaldo, em comunicado à imprensa, na tarde de hoje, relatou as inúmeras ações que a prefeitura tem realizado para amenizar os estragos provocados pelas fortes chuvas que continuam castigando a cidade e pediu a solidariedade de todos neste momento de dificuldade, principalmente financeira.
Edivaldo informou que o Núcleo de Meteorologia da UEMA constatou que somente em dois dias choveu o que estava previsto para todo o mês de maio, mas que desde o primeiro momento a Força Tarefa da Prefeitura atua para minimizar os danos provocados e dar suporte às vítimas.   
O prefeito disse que solicitou audiência com a governadora Roseana Sarney e com a presidente Dilma Rousseff em busca de parcerias efetivas para a realização de obras de drenagem e pavimentação que a cidade precisa. 
Edivaldo enfatizou, no entanto, que sua administração está fazendo o maior esforço para vencer todo tipo de dificuldade, mesmo com uma queda na arrecadação própria e nas transferências de receitas tributárias. 
Após reunião com o presidente da executiva nacional do Partido Republicano da Ordem Social, Eurípedes Junior, o presidente estadual da legenda, deputado José Vieira, confirmou o PROS na coligação  com a oposição.

Segundo os dois dirigentes, não existe a menor possibilidade do PROS não caminhar junto com Flavio Dino. 

José Vieira adiantou que o partido está buscando novos caminhos e prosperidade para o povo do Maranhão que clamam por mudanças e dias melhores.

Eurípedes destacou o trabalho e o crescimento  do Partido no Maranhão e salientou o desempenho dos candidatos a deputado federal, bem como o papel do PROS-Mulher, que tem como presidente a candidata a deputada estadual, Patrícia Vieira.

O presidente nacional da sigla adiantou adiantou ainda que todas as conversações no aranhão estão sob a responsabilidade do presidente José Vieira 
                         


video


O deputado Othelino Neto, destacado membro da oposição e defensor dos movimentos sociais organizados criticou, nesta manhã de quarta-feira (21), a banalização das interdições de avenidas por movimentos de protesto.

Othelino ressaltou que considera legítimas as manifestações porque acha que as pessoas que estão se sentindo com seus direitos não atendidos têm mesmo de reivindicar e se manifestar, mas condena os excessos.

 “Não se pode considerar interditar uma avenida, interditar uma rua como um ato normal, um ato corriqueiro, porque, ao passo que se faz uma reivindicação e se consegue chamar a atenção da sociedade, é algo que diz respeito a direitos de milhares de pessoas que não conseguem ir ao seu trabalho, não conseguem ir para suas casas, não conseguem buscar seus filhos na escola, porque as avenidas, BRs e ruas estão interditadas”.

O parlamentar lembra que semana passada  milhares de pessoas não conseguiam entrar em São Luís, não conseguiam sair de São Luís, porque a BR-135 estava interditada. Ele esclarece que não se trata de crítica a A ou B, mas de uma avaliação sobre um excesso que está gerando incômodos mais diversos à população.

“Eu vi um motorista de Van, eu estava no município de Zé Doca na sexta-feira passada, dizer que veio a São Luís trazer passageiros e que ficou oito horas parado na BR com crianças no carro, crianças com fome, crianças chorando, com as mães muito aperreadas porque não conseguiam entrar na cidade”, relatou.

Para o parlamentar, o excesso de interdições de vias públicas merece uma reflexão de todos. “Acho todas legítimas e acho mesmo que tem que se chamar atenção das autoridades, mas não se deve vulgarizar, não se deve banalizar a interdição de estradas, a interdição de BR’s porque, ao reivindicar um direito, se tira o direito de outros cidadãos que querem ir ou querem vir. Então merece a reflexão”, observou Othelino.

“Vejo depoimentos sucessivos de pessoas que ficaram três, quatro, cinco, seis horas paradas em algum lugar, paradas em alguma via, porque não conseguiam sair porque tinha uma interdição. E como ficam aqueles que precisam ir para a casa? Que precisam chegar ao seu trabalho? Que tem um compromisso inadiável? Que tem uma consulta médica? Que tem que buscar ou deixar o filho na escola? Esses também merecem ter o seu direito de ir e vir respeitado”, defendeu.

E para concluir sugeriu que Governo do Estado, Prefeitura de São Luís e Ministério Público façam uma reflexão e avalie como lidar com esse tipo de manifestação que tira o direito das pessoas de andar livremente, não só em qualquer cidade, mas também nas BRs, no Maranhão e no Brasil a fora.

20 de mai de 2014

Os deputados oposicionistas Othelino Neto e Marcelo Tavares (foto) rebateram, na sessão desta terça-feira (20), as críticas feitas pelo deputado governista Roberto Costa (PMDB) à Administração de São Luís. “Vossa Excelência ataca a Prefeitura de São Luís porque não tem argumentos para defender o Governo do Estado”, disparou Marcelo.
     
Segundo o deputado Othelino Neto, os problemas de São Luís têm se agravado devido às fortes chuvas que têm castigado a cidade, ao problema histórico e estrutural de falta de obras de drenagem e, sobretudo, à perseguição política imposta pelo governo do Estado ao prefeito de São Luís. “A deputada Gardênia sabe bem como é o prefeito perseguido e sabotado pelo Governo do Estado”, lembrou.

Outro argumento lançado por Othelino que, segundo ele, comprova a perseguição do grupo político da governadora ao prefeito de São Luís foi o relativo a não liberação das emendas parlamentares. “Ano passado, nós, deputados da Bancada de Oposição, disponibilizamos nossas emendas para São Luís e a governadora ignorou. Agora, em 2014, de novo colocamos emendas para São Luís e a governadora não libera”, revelou.

Othelino disse que o prefeito Edivaldo Holanda (PTC) está fazendo um grande esforço para diminuir o sofrimento da população de São Luís, determinando aos seus auxiliares que priorizem as situações mais críticas. “O prefeito sente-se incomodado com a situação da população e nem de longe é omisso. Ele tem responsabilidade, foi eleito para resolver os problemas da cidade e tem procurado fazer isso”, observou.

O deputado Marcelo Tavares, em sua intervenção, chamou à atenção para o volume de recursos liberados pelo governo do Estado para os municípios do Maranhão, por intermédio de convênios, que envolvem o montante de R$ 500 milhões. “Sabem quanto a governadora liberou para São Luís? Zero, zero para São Luís, porque a governadora persegue a população de São Luís e também tem parcela de culpa nos problemas que nossa cidade enfrenta”, argumentou.


“Os problemas de São Luís seriam bem menores se a governadora Roseana Sarney, que é a governadora também de São Luís, fizesse o que lhe é de responsabilidade, mas a governadora, cega pela política atrasada de seu grupo, persegue os prefeitos de oposição, e quando ela persegue o prefeito Edvaldo, na verdade, ela está prejudicando é a população de São Luis”, disse Marcelo.

A presidente do PT de Bom Jesus das Selvas, Maria Lira, aproveitou a passagem do Movimento Diálogos pelo Maranhão na cidade para declarar apoio ao pré-candidato Flávio Dino (PCdoB). Na cidade, o Dida do PT, forte liderança do Movimento Sem Terra (MST) também disse apostar em Flávio Dino para mudar o Maranhão.
“Pra ter luta, tem que ter soldado. Eu tenho um voto, que é o meu, mas sou uma soldada da luta mobilizadora no meio de um exército que onde estiver acampado estará lutando em prol da candidatura de Flávio Dino”, disse Maria Lira, que é também ex-prefeita de Bom Jesus das Selvas.
A manifestação de apoio foi dada apesar de o PT não ter declarado apoio oficial ao projeto da oposição para as eleições de 2014. Dida do PT, liderança de Bom Jesus das Selvas, também deu sua contribuição ao projeto de Flávio Dino para o Maranhão.
Ele criticou o tempo de permanência da família Sarney no poder e contrapôs com o desenvolvimento do estado. “A família Sarney está aí há 50 anos e o que o Maranhão ganhou foi o ranking de primeiro lugar em corrupção. Quero pedir a vocês união e que Flávio Dino tome providências e tire o Maranhão dessa situação”, pediu.
Na passagem de Dino pelo município, diversas lideranças se reuniram em apoio à pré-candidatura de oposição no Maranhão. Entre eles estão o atual vice-prefeito Abdalla Filho (PTB) e o ex-candidato Fernando Coelho (PV). Os dois somaram-se aos vereadores Letícia Lira (PSDC), Irmão Cândido (PTC), Renatim Moto Taxi (PTB), Manoel Firmino (PR), Cláudio Joel (PRB), Teíde (PRP), Dr. Abdalla (PTB), Carlos César (DEM) e Irineu Filho (PP) que fortaleceram a passagem de Flávio Dino pelo município.

PDT fortalece movimento Diálogos na Região Tocantina
Grandes lideranças do Partido Democrático Trabalhista (PDT) na região tocantina também declararam apoio à pré-candidatura de Dino, entre elas os deputados estaduais Carlinhos Amorim e Valéria Macedo, além do ex-prefeito de Porto Franco, Deoclides Macedo.
Sobre o apoio do PDT a Flávio Dino, o deputado federal Weverton Rocha declarou que a presença de pedetistas no Movimento Diálogos pelo Maranhão reflete o compromisso do partido com Dino.
“Nossa presença aqui está muito clara, porque nós somos o primeiro partido que foi para a rua pedir voto para Flávio Dino, para pedir apoio e construir o momento que estamos vivendo hoje. E esses três anos que estamos lutando, nossa brava militância pedetista sempre foi grande responsável por fortalecer o Partido do Maranhão. Tenha certeza que estaremos todos juntos caminhando nesse grande projeto de mudança, que é o projeto de mudar o Maranhão”, afirmou.


Design de NewWpThemes