2 de mai de 2015

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), realizou esta semana o lançamento do projeto "Além da leitura e da escrita: Educando para o exercício da cidadania". O projeto é realizado em parceria com o Fórum Desembargador Sarney Costa. Voltada para a área de Educação de Jovens e Adultos (EJA), a iniciativa tem como proposta fomentar a construção de conhecimento na área da justiça e cidadania.

O projeto segue a diretriz do prefeito Edivaldo Holanda Júnior de garantir atenção integral a todos os estudantes da rede municipal, garantindo-lhes o exercício completo da cidadania. "Esta iniciativa possibilitará aos jovens, adultos e idosos que estudam nas nossas Unidades de Educação Básica o conhecimento acerca de seus direitos e as instâncias para reivindicá-los. São informações fundamentais para a cidadania e a dignidade", afirmou o secretário municipal de Educação, Geraldo Castro.

O projeto "Além da leitura e da escrita: educando para o exercício da cidadania" leva aos estudantes o conhecimento acerca de questões relativas a áreas específicas do direito, como direitos dos trabalhadores, das mulheres, da criança e do adolescente.

Uma rede de colaboradores, montada através da parceria entre a Prefeitura de São Luís e a coordenação do projeto junto ao Fórum Desembargador Sarney Costa, organizará os momentos de diálogo, que podem ocorrer nas próprias escolas ou em visitas organizadas dos estudantes a instâncias do Poder Judiciário em São Luís.

PROJETO

A solenidade de lançamento foi realizada no auditório do Fórum e contou com a presença de cerca de 200 estudantes de dez escolas da rede municipal que, divididos em pequenos grupos, participaram de uma visita guiada às dependências do Fórum Desembargador Sarney Costa. Após a visita, os alunos assistiram a uma palestra, ministrada pela juíza titular da 1ª vara de Fazenda Pública de São Luís, Maria Luzia Neponucena.

Para a juíza, a proposta do projeto é audaciosa e acerta ao tratar a sala de aula como espaço de formação social e de transformação. "É importante trabalhar na escola esses conteúdos tranversais, que falam sobre direitos e deveres dos cidadãos. O benefício desse conhecimento não se restringe somente ao aluno, mas ajuda a promover o desenvolvimento social político e econômico de um país", disse a juíza Luzia Neponucena.

Thalia Viana de Sousa, estudante da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) José Ribamar Bogéa, na Cidade Olímpica, aprovou a iniciativa. Ela contou que, antes de fazer a visita guiada ao fórum, nunca tinha ouvido falar do espaço nem sabia para que servia. "Descobri, por exemplo, que aqui acontecem julgamentos e que também existem setores que tratam das questões de família. Acho que com esse projeto vou conhecer os meus direitos e entender um pouco mais sobre outras questões jurídicas", ressaltou Thalia.

Também estavam presentes à solenidade de lançamento o defensor público estadual Dario André Cutrim Castro; a superintendente da área de Educação de Jovens, Adultos e Idosos da Semed, Áurea Borges; e a advogada e uma das coordenadoras do projeto, Maironilde Gonçalves Medeiros Pereira.
Reações:

0 comentários :

Design de NewWpThemes