4 de mai de 2015

Prefeito Edivaldo garante implantação do projeto "Carta Acústica" em São Luís 
Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam), apresentou semana passada, durante o "I Fórum sobre Ruídos em Áreas Urbanas de São Luís", o projeto "Carta Acústica de São Luís", estudo que pretende iniciar o mapeamento de áreas com situações críticas de sons e ruídos que provocam danos ao meio ambiente e à saúde da população. O trabalho representa mais um avanço e pioneirismo da gestão do prefeito Edivaldo no desenvolvimento sustentável e nos cuidados com o meio ambiente e com a saúde. A capital maranhense será a segunda da Região Nordeste a contar com o projeto, atrás apenas de Fortaleza (CE).

Por orientação do prefeito Edivaldo, a Prefeitura deflagrará uma campanha educativa sobre ruídos urbanos, elencando a legislação ambiental sobre o tema, e trazendo orientações à população em geral sobre como proceder em casos de denúncia. O material deverá ser divulgado em maio, já que as fiscalizações terão início em junho, durante os festejos juninos.

Atualmente, além de Fortaleza, a cidade de São Paulo possui um projeto semelhante ao Carta Acústica de São Luís. "O Carta Acústica teve como ponto de partida o projeto iniciado em Manhattan, nos Estados Unidos. Para executar o projeto, faremos uso da tecnologia, como gráficos elaborados por computador e aparelhos específicos de medição de sons e ruídos", explica o secretário municipal de Meio Ambiente, Marco Aurélio Diniz.

Pelo projeto, é possível identificar, nas áreas urbanas mais críticas, as fontes sonoras individualizadas (ruídos produzidos no trânsito, indústria, bares, restaurantes, e em locais de grande circulação de pessoas), favorecendo situar os valores de atenuação acústica necessários para redução do ruído.

FISCALIZAÇÃO
O estudo será utilizado pela da Semmam durante fiscalizações ambientais que acontecerão em São Luís durante o mês de junho, tendo como ponto de partida a área que circula a Lagoa da Jansen. De acordo com o secretário, a área já vem sendo monitorada pelo órgão. Durante as fiscalizações, técnicos ambientais farão o mapeamento. A área deverá ser dividida em quadrantes, aplicando ainda a legislação ambiental específica sobre poluição sonora.

"Uma exemplo dessa legislação é uma Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), que considera um problema os níveis excessivos de ruídos bem como a deterioração da qualidade de vida causada pela poluição", destaca o secretário. A norma segue os padrões estabelecidos pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e pela Norma Brasileira Regulamentar (NBR).

O projeto Carta Acústica foi apresentado pelo pesquisador acadêmico, Sérgio Silva, coordenador de Engenharias da Universidade Ceuma, parceira da Semmam na realização do Fórum. Também foi realizada a palestra "Impacto Proveniente do Ruído Urbano", com a professora Raquel Façanha, coordenadora do Curso de Fonoaudiologia do Uniceuma, na qual a pesquisadora abordou os danos causados pelos ruídos à saúde humana, como insônia, cansaço, estresse e perdas auditivas.


 
Reações:

0 comentários :

Design de NewWpThemes