25 de mai de 2015

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira (PSC), usou a tribuna, nesta tarde de segunda-feira (25), para contestar as críticas feitas pela oposição contra o governo do Estado. Semana passada, Adriano Sarney, mais conhecido como “menino maluquinho”, chegou ao cúmulo de pedir intervenção e impeachment do governador Flávio Dino sem apresentar qualquer justificativa plausível.

A tentativa de abafar o escândalo da Operação Lava Jato em que a ex-governadora Roseana Sarney é acusada de fazer parte do maior esquema de corrupção já descoberto no país, vale tudo, inclusive todo tipo de agressão ao governador que botou pra correr o grupo político liderado pelo oligarca José Sarney e que levou o Maranhão a ostentar os piores indicadores econômicos e sociais do país.    

Segundo o líder do governo, no que diz respeito as acusações feitas pelos deputados Andrea Murad (PMDB), Edilázio Junior e Adriano Sarney (ambos PV), sobre a questão da segurança no Maranhão, são feitas de forma equivocada e sem conhecimento das ações que estão sendo desenvolvidas pelo governo de Flávio Dino.

Evitando fazer comparações com relação às promessas não cumpridas no governo passado, Rogério lembrou que não foi Flávio Dino que colocou o Maranhão em último lugar no ranking de estado com o menor número de policial per capita do Brasil. “Essa é uma herança do governo passado que precisa de tempo para ser resolvida”, destacou o parlamentar.

Ele frisou ainda que ao contrário do que foi dito pela oposição, o governador se comprometeu a dobrar o efetivo de policiais em quatro anos, e não imediatamente após sua posse como governador do Estado. “Todos sabemos que existe uma lei regula os procedimentos para contratação e efetivação dos policiais, e que não há como mudar tais procedimentos. É preciso cumprir os prazos e a exigências”, disse Rogério ao mencionar o compromisso do governador em efetivar mil policiais até o final do ano.

O deputado falou também que a segurança de um estado não é feita somente pela polícia, mas por um conjunto de ações que envolve educação, políticas sociais, esporte, lazer, e oportunidades profissionais, e que a sensação de insegurança é vivida por todo o país. “Os índices de criminalidade foram agravados pela crise econômica, pois a população ficou mais suscetível à violência. Infelizmente, essa realidade é vivida por todo o Brasil”, ressaltou.

Rogério mostrou preocupação sobre uma intervenção no estado sugerida pelo deputado Adriano Sarney, porque isso implicaria num golpe contra o estado. A oposição vem fazendo proposições impertinentes no que diz respeito à autonomia do estado, hoje gerido pelo governador Flavio Dino. Inclusive, o deputado Adriano Sarney vem sendo recorrente ao criticar de maneira leviana e inconsequente as decisões da Comissão Central de Licitação (CCL) do Governo do Estado. No entendimento do deputado, algumas dessas decisões seriam motivo para que o governador sofra impeachment. “É preciso ter seriedade e cautela para tratar de um assunto que vai além do ordenamento jurídico dessa Casa”, finalizou. 


Reações:

0 comentários :

Design de NewWpThemes